O Fantasma Da Revolução Brasileira – É preciso acertar as contas com o fantasma de uma revolução derrotada. E abrir perspectivas para a emancipação da classe trabalhadora. Ridenti desvenda aqui o significado e as raízes sociais da luta dos grupos de esquerda. Especialmente da esquerda armada, que buscava nos anos 1960 uma sociedade mais justa. E o autor vai além da política, mostrando ainda como essa derrota repercutiu na matriz cultural brasileira.
Lançado em 1993, O Fantasma Da Revolução Brasileira trata-se de leitura obrigatória para “desvendar o significado e as raízes sociais da luta dos grupos de esquerda, especialmente dos armados, entre 1964 e 1974”. O autor mapeou as esquerdas antes e após o golpe militar e apresenta como a repressão conseguiu transformar possíveis criadores em consumidores e também examina a produção cultural daquela época.
O Fantasma Da Revolução Brasileira é o primeiro balanço estritamente sociológico da trágica e heróica experiência da luta armada contra a ditadura. Alinha-se aos poucos trabalhos que, de uma perspectiva de esquerda, expressaram a preocupação de jovens pesquisadores dos anos 80 com eventos que eles apenas vislumbraram com o canto dos olhos na adolescência.
Sua feitura deu-se, assim, na intersecção entre a curiosidade de uma geração que não participou dos fatos e a persistência ainda viva da memória dos participantes, acessíveis ao pesquisador que mantém com eles relações visivelmente respeitosas e compassivas.
Nesse sentido, O Fantasma Da Revolução Brasileira é filho de prole reduzida. Elaborado e redigido enquanto muitos dos fantasmas ainda viviam, talvez encerre um ciclo.
Quanto a suas fontes, O Fantasma Da Revolução Brasileira nutriu-se basicamente de três mananciais: a literatura existente (das análises gerais ao acervo de depoimentos escritos), longas entrevistas com os sobreviventes e dados extraídos dos processos judiciais que constam do arquivo do projeto “Brasil nunca mais”.
Quanto ao enfoque, o subtítulo da tese que deu origem ao livro “raízes sociais das esquerdas armadas” – expõe sua preocupação de explicar sociologicamente as opções políticas – estratégicas e táticas – de alguns milhares de militantes por meio da referência aos processos gerais da sociedade brasileira.

Camisa “Espere Eu Acabar Esse Capítulo!”

Deixe uma resposta