Lenin: Capitalismo De Estado E Burocracia trata dos escritos de Lenin sobre a sociedade soviética, mais especificamente sobre os problemas relacionados ao que se convencionou chamar de “construção do socialismo” na Rússia. Entre os dirigentes do Partido Bolchevique, Lenin foi um dos primeiros a se preocupar com a caracterização do tipo de sociedade que resultara da Revolução de Outubro. Suas análises, durante o período que vai de maio de 1918 a março de 1923, compreendem uma parcela importante, porém pouco conhecida de sua obra, envolvendo problemas relacionados às responsabilidades do Poder, à administração do Estado, à organização da economia, à burocracia, etc. Aqui pretendemos considerar apenas um aspecto dos escritos desta fase: aquele referente à interpretação da natureza da sociedade soviética, tratando mais especificamente da questão do capitalismo de Estado, no plano econômico, e da burocracia, no plano do controle do Estado. Procuramos limitar o mais possível as interpretações, remetendo o leitor diretamente aos textos de Lenin.
O problema da caracterização de uma sociedade na qual os grandes proprietários e os capitalistas tinham sido eliminados, mas que nem por isso podia ser definida como socialista, ocupará a atenção de Lenin durante todo transcorrer dos anos difíceis da organização do novo Estado, da guerra civil e da ruína econômica. Entre tanto, suas observações encontram-se dispersas em numerosos trabalhos, que começam que começam mais particularmente com o folheto O Infantilismo Esquerdista e a Mentalidade Pequeno-Burguesa (9 de maio de 1918) e terminam com o artigo “Melhor Poucos Mas Bons” (23 de março de 1923).*
As ideias de Lenin, no período, variaram segundo as mudanças ocorridas na sociedade soviética e, especificamente, com o tipo de obstáculo e de oposição encontrado pelos bolcheviques. Assim, é possível distinguir duas fases principais nos seus escritos sobre a sociedade soviética, os quais correspondem, por sua vez, a dois momentos da política econômica bolchevique: a do “comunismo de guerra”, que se inicia em meados de 1918, a da “Nova Política Econômica” (NEP), começada em março de 1921.
Na fase do “comunismo de guerra”, Lenin deixaria de lado um tipo de interpretação da sociedade soviética que havia começado com o artigo “O Infantilismo Esquerdista e a Mentalidade Pequeno-Burguesa” e que só seria retomado, de modo mais sistemático, em abril de 1921, com a obra O Imposto em Espécie.

Deixe uma resposta