A crise do capitalismo global a que temos assistido desde 2008 é mais do que uma crise econômica. Ela é estrutural e multidimensional. A sequência de eventos que acontece nesse momento mostra que estamos entrando num mundo muito diferente, do ponto de vista social e econômico, daquele que suportou a ascensão do capitalismo global e informacional nas últimas três décadas.
Os ensaios organizados pelo aclamado cientista social Manuel Castells e seus colegas portugueses João Caraça e Gustavo Cardoso revelam a profundidade da crise que assola o mundo desde 2008. As refinadas análises apresentadas mostram que muita mais que um colapso econômico, a própria democracia como modelo político está em colapso. A Crise E Seus Efeitos fala sobre as causas deste momento histórico e mostra que o mundo pode estar próximo do surgimento de um novo sistema econômico e institucional.
“Os três organizadores da coletânea aprofundam sua concepção sobre amálgama do qual resultou no ‘capitalismo global informacional’ e o porquê de suas crises, que incitam as ondas de protesto. A potencialização das redes do capitalismo financeiro, criadas graças aos avanços da tecnologia da informação, a própria organização da sociabilidade contemporânea em redes e um amor à inovação e à liberdade criam o sistema corporativo dominante e, contraditoriamente, se voltam contra ele”.
A crise e seus efeitos examina as culturas e instituições que estão na origem da crise, bem como os conflitos e debates que podem conduzir a uma nova paisagem social, incluindo a ascensão de culturas econômicas alternativas nos movimentos sociais que surgiram um pouco por todo o mundo.
Resultado de um projeto de reflexão partilhado por um grupo de sociólogos e cientistas sociais internacionais, liderados por Manuel Castells, João Caraça e Gustavo Cardoso, esta coletânea de ensaios mostram que para enfrentar a vida para além da crise é preciso de uma completa transformação da mentalidade levou à falência, ao desespero e a economias e sociedades baseadas num modelo insustentável de especulação financeira e irresponsabilidade política.

Deixe uma resposta