Terry Eagleton – Como Ler Literatura: Um Convite

Como o sapateado, a arte de analisar obras literárias está quase extinta. Toda uma tradição de “leitura vagarosa”, como dizia Nietzsche, corre o risco de sumir sem deixar rastro.

Ao prestar uma atenção minuciosa à forma e à técnica literária, Como Ler Literatura é uma modesta tentativa de vir em sua salvação.

Como Ler Literatura foi concebido basicamente como um guia para principiantes, mas espero que também seja útil para quem já se dedica a estudos literários ou simplesmente gosta de ler poemas, peças e romances nas horas de lazer.

Procuro lançar alguma luz sobre temas como a narrativa, o enredo, o personagem, a linguagem literária, a natureza da ficção, problemas de interpretação crítica, o papel do leitor e a questão dos juízos de valor.

Como Ler Literatura também discorre sobre alguns autores e correntes literárias como o classicismo, o romantismo, o modernismo e o realismo, para quem talvez se sinta precisado.

Sou mais conhecido, creio eu, como teórico literário e crítico político, e talvez alguns leitores perguntem como ficam tais interesses neste livro. Minha resposta é que é impossível levantar questões políticas ou teóricas sobre textos literários sem ter alguma sensibilidade à linguagem deles.

Em Como Ler Literatura, a intenção é oferecer a leitores e estudantes alguns instrumentos básicos do ofício crítico, sem os quais dificilmente conseguirão passar para outros temas. Espero mostrar que a análise crítica pode ser divertida e, com isso, ajudar a destruir o mito de que a análise é inimiga do prazer.

Em Como Ler Literatura, embora seja uma obra introdutória, vemos que o autor não apenas conhece muito bem sua matéria como tem sensibilidade suficiente para não matar o objeto de estudo ao dissecá-lo.
Sempre tratando a literatura como parte da cultura humana, Eagleton mostra a importância e a riqueza de se atentar, quando lemos, para aspectos como ritmo, sintaxe, alusões, ambiguidade, enredo, narrativa etc. – que tanto podem acrescentar à nossa fruição.

Shakespeare, Conrad, Nabokov, Dante Alighieri, Dickens, Jane Austen, Milton, Sófocles e J.K. Rowling são alguns dos autores frequentados, dos quais faz análises brilhantes e instigantes, sempre com a clareza que lhe é característica.

 

Caneca Forrózim | Branca

Deixe uma resposta