Max Weber – História Agrária Romana

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Direito, Economia, História

História Agrária Romana – As investigações que compõem este livro se centram em diversos fenômenos do direito romano, público e privado, de um ponto de vista específico: o da sua importância prática para o desenvolvimento das relações agrárias.
Aplicando a seu trabalho o método experimental, Max Weber analisa, num primeiro momento, a conexão existente entre as diversas formas de medição dos campos romanos e suas condições jurídicas, públicas ou privadas, e, num segundo momento, desenvolve um estudo histórico-econômico da agricultura romana e do desenvolvimento do colonato. (mais…)

Max Weber – A Psicofísica Do Trabalho Industrial

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais

A Psicofísica Do Trabalho Industrial faz parte de uma série de trabalhos críticos em Ciências Naturais de Maximilian Carl Emil Weber. Neste texto, pouco estudado e até então não traduzido para o português, Weber buscou encontrar para si, seus colegas e alunos, um método de medida que capturasse uma ontologia social diferente, na qual as atitudes dos trabalhadores e seus “estados de alma” pudessem ser descobertos pelos próprios trabalhadores em seus próprios termos, mas também no contingente campo histórico em que estes trabalhadores operavam. (mais…)

Marcos César Seneda & Henrique F. F. Custódio (Orgs.) – Max Weber: Religião, Valores E Teoria Do Conhecimento

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais

Fruto de um colóquio multidisciplinar em comemoração aos 150 anos do nascimento de Max Weber, esse livro apresenta as pesquisas recente sobre o pensamento do sociólogo alemão. A obra reúne artigos sobre a sociologia da religião, a recepção de sua obra, tipologia e politeísmo de valores, por fim, a força heurística da reflexão metodológica.

Max Weber – Ciência E Política: Duas Vocações

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais

O livro Ciência e política: duas vocações, é baseado em conferências dadas por Max Weber, onde mostra pontos de tangência e divergência entre o cientista e o político. Para ele ambos os agentes procuram estas profissões visando não trabalhar, vivendo assim às custas do contribuinte por intermédio do Estado. A primeira diferença é que o cientista acha que seu ócio produtivo pode, um dia, servir para algo. Já o político acha que nem isso. Por fim ele aconselha ambos a não interferirem em suas esferas. O cientista não deve interferir na esfera política, pois um dia seu partido pode perder a eleição para um partido rival e com isso ele perder suas regalias nas pesquisas, para o Estado. Já o político não deve perder seu tempo com algo que dá muito pouco dinheiro como a pesquisa científica.