Coleção Machado De Assis

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Brasileira

Coleção Machado De Assis – O propósito desta homenagem a Machado de Assis é fazer com que a sua obra completa chegue a qualquer usuário internet, em edições confiáveis e gratuitas. Resultado de uma parceria entre o Portal Domínio Público – a biblioteca digital do MEC – e o Núcleo de Pesquisa em Informática, Literatura e Lingüística (NUPILL), da Universidade Federal de Santa Catarina, a Coleção Machado De Assis teve como propósito organizar, sistematizar, complementar e revisar as edições digitais até então existentes na rede, gerando o que se pode chamar de Coleção Digital Machado de Assis. (mais…)

Machado De Assis – Contos De Amor E Ciúme

Posted on Leave a commentPosted in Literatura, Literatura Brasileira

Contos De Amor E Ciúme – Machado de Assis construiu toda a sua obra de ficção sobre os mistérios do amor e de sua sombra, o ciúme. Mistérios que qualquer leitor – apaixonado ou não – deseja esclarecer, pelo menos um pouco que seja. Boa razão, então para ler os contos aqui reunidos, porque eles fazem rir, apontam sutilezas e, principalmente, induzem à reflexão. (mais…)

Machado De Assis – Quincas Borba

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Brasileira

Quincas Borba – Publicado pela primeira vez em livro em 1891, depois portanto de Memórias póstumas de Brás Cubas (1881) e antes de Dom Casmurro (1899), Quincas Borba é uma das obras mais marcantes da fase realista de Machado de Assis. Talvez por se situar justamente entre esses dois monumentos da obra machadiana, o romance muitas vezes foi considerado uma realização menor, uma espécie de mera continuação das Memórias póstumas — para irritação de seu autor, que em um raro comentário sobre a própria ficção afirmou que a presença do personagem Quincas Borba era “o único vínculo” entre os dois livros. (mais…)

Machado De Assis – Seus Trinta Melhores Contos

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Brasileira

Machado De Assis: Seus Trinta Melhores Contos é fruto de uma votação feita entre escritores e críticos literários que escolheram seus contos prediletos do bruxo do Cosme Velho, resultando numa amostra significativa da prosa machadiana.
Os trinta textos estão ordenados cronologicamente e receberam três acréscimos, apenas a título de curiosidade: o primeiro e o último contos escritos pelo autor — marcando uma produção que vai de 1858 a 1907 — e “O caso da vara”, que, embora muito conhecido e reproduzido em outras coletâneas, curiosamente não recebeu nenhum voto dos especialistas consultados. (mais…)

Graça Aranha (Org.) – Correspondência Entre Machado De Assis E Joaquim Nabuco

Posted on Leave a commentPosted in História, Literatura Brasileira

Joaquim Nabuco tinha quinze anos, quando pela primeira vez escreveu a Machado de Assis. A sua adolescência raiava como a aurora de uma grande vida. Este menino de colégio, que publicava versos assinalados pelos críticos, pertencia ao patriciado brasileiro em uma época em que a nossa comunhão social tinha a feição aristocrática de um país de senhores e de escravos. (mais…)

Machado De Assis – Esaú E Jacó

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Brasileira

Aparentemente, Esaú e Jacó se constrói sob o eixo da dualidade opositiva, a partir do título: gêmeos bíblicos que brigaram desde o ventre. Mas essa dualidade se estende por um sem-número de situações romanescas. No essencial, o que Machado discute em toda a narrativa é a preservação da vida em sua eterna luta contra o tempo e, consequentemente, contra a morte. Ele apresenta, em várias personagens, o que significa para elas o ato de viver, o qual consiste na capacidade ou na incapacidade de controlar o próprio destino, ou seja, de tomar decisões.

Keila Grinberg, Lucia Grinberg & Anita Correia Lima De Almeida – Para Conhecer Machado De Assis

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura Brasileira

Um dos pilares fundamentais da literatura brasileira, Machado de Assis – autor de “Dom Casmurro”, “Quincas Borba” e “Memórias póstumas de Brás Cubas”, entre outras obras-primas – tem a vida esmiuçada pelas historiadoras Keila Grinberg, Anita Correia Lima Almeida e Lucia Grinberg. Ilustrado por imagens do Rio de Janeiro do século XIX, o livro transforma a cidade em fio-condutor da vida deste homem simples, que acompanhou de perto grandes transformações na sociedade brasileira, como a Guerra do Paraguai e a Abolição da escravatura. Em estilo leve e agradável, como se fosse uma obra de ficção, as autoras narram a trajetória do menino pobre e mestiço, nascido no Morro da Providência, que, com muito esforço, tornou-se um dos maiores escritores brasileiros, reunindo admiradores no mundo todo. O texto principal é entremeado por intertextos explicativos sobre os livros de Machado, sua relação com o Rio de Janeiro e sobre o período em que viveu. No fim, as autoras sugerem para o leitor diversas atividades relacionadas ao temas abordados, como a montagem de uma tipografia e a organização de uma biblioteca. Além das ilustrações, esta apresentação de Machado de Assis aos jovens leitores inclui ainda glossário, linha do tempo, biografias comentadas de contemporâneos de Machado, referências bibliográficas e indicações de sites e museus.​

Wagner De Assis – A Cartomante

Posted on Leave a commentPosted in Filmes, Literatura Brasileira

cart

Este A Cartomante não é uma mera transposição do filme de 2004, dirigido e roteirizado por Pablo Uranga e Wagner de Assis, que além de jornalista, já é conhecido na Coleção como autor das biografias de Reginaldo Faria, Ilka Soares e Renata Fronzi. Mais do que um roteiro, este livro, a partir do próprio conto original de Machado de Assis, traz toda a reflexão de um profissional diante da decisão de fazer um filme. 0 surgimento da idéia, o processo criativo, a viabilização e a realização do projeto. Wagner conta, num apaixonado depoimento, como o filme foi baseado livremente no conto homônimo, relacionando os dois textos. Descreve ainda como o projeto, iniciado em 1997, teve que sofrer alterações no roteiro e na ambientação e, mesmo assim, só foi realizado graças à participação de quase todo o elenco nos gastos de produção, num prazo máximo de quatro semanas de rodagem. É uma história fascinante, de luta, glória, desesperança, risos e lágrimas.

pdf