Jean-Paul Sartre – O Imaginário

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia, Literatura, Psicologia

O Imaginário – No cruzamento de disciplinas – psicanálise, literatura, antropologia cultural, sociologia dos meios de comunicação de massa -, este livro propõe uma análise filosófica do que nos separa do imediato, exorta-nos ao lúdico, permite-nos pensar quando o saber é insuficiente, e oferece-nos um horizonte – o imaginário.
Num ensaio marcado pela influência de Husserl, Sartre desenvolve alguns dos temas centrais de sua filosofia, como a ideia de que a imaginação se liga intimamente à noção de consciência e de liberdade individual. (mais…)

Jean-Paul Sartre – Os Dados Estão Lançados

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Estrangeira

Os Dados Estão Lançados – O impossível é sempre mais sedutor que o possível. Depois que nossos valores já estão definidos e a rotina já triturou nossa semeadura inicial de ilusões, começamos a fantasiar as utopias. Poder voltar ou refazer nossos objetivos talvez anulasse medos e insatisfações.
E que espaço ocupariam o amor e o dever nesse eterno retornar? Seríamos salvos pelo amor? Morreríamos pelo dever? Ora! Mas não é o dever uma forma altruísta de amor? (mais…)

Jean-Paul Sartre – Os Caminhos Da Liberdade

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Estrangeira

Os Caminhos Da Liberdade – Jean-Paul Sartre descreve a penosa trajetória do homem que abandona a sua individualidade para engajar-se nas questões mais urgentes que o cercam. Em “A idade da razão”, ele começa a tomar verdadeira consciência de si mesmo; em “Sursis”, parte para a descoberta do outro; “Com a morte na alma”, por sua vez, culmina no abraço a uma causa social extrema: a guerra. (mais…)

Hazel Rowley – Tête-À-Tête: Simone De Beauvoir E Jean-Paul Sartre

Posted on Leave a commentPosted in Biografia, Filosofia, Literatura

O lendário casal de escritores-filósofos Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre tinha uma relação notavelmente aberta, o que gerava controvérsias sem fim. Através de entrevistas originais e acesso a material inédito, a biógrafa Hazel Rowley nos oferece em Tête-à-Tête o primeiro retrato do intenso e turbulento relacionamento dessas duas figuras colossais.

Jean-Paul Sartre – Que É A Literatura?

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Nesta obra, Jean-Paul Sartre se propõe a refletir e fornecer elementos de resposta às críticas dirigidas por escritores contra o princípio do engajamento proposto na apresentação da revista Tempos Modernos. Autor estimado por seus ensaios literários e filosóficos, Sartre nunca deixou de ser um escritor engajado politicamente e sempre entendeu a literatura como estreitamente relacionada, cúmplice, testemunha ou crítica da condição humana em sociedade.

Jean-Paul Sartre – As Moscas

Posted on Leave a commentPosted in Teatro

Sartre foi um grande dramaturgo e As moscas, texto até hoje inédito no Brasil, está entre suas mais celebradas peças. Nela, as moscas não são apenas insetos repugnantes, mas a representação de todo o mal que recai sobre a França ocupada pelas forças nazistas. Uma brilhante apropriação de Sartre da lenda de Orestes, o herói grego que volta à terra natal com a missão de salvar seu povo consumido pela culpa diante do crime que não cometeu. Esta primeira edição brasileira de As moscas tem apresentação inédita do tradutor, o jornalista e cientista social Caio Liudvik.

Thiago Rodrigues – Fenomenologia Crítica, Filosofia E Literatura: Uma Incursão Nos Primeiros Textos De Sartre

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Literatura

fen

Inequivocamente, Jean-Paul Sartre foi um escritor polivalente. Sua obra abarca desde tratados filosóficos, passando por textos teatrais, ficcionais, biografias, ensaios e até mesmo textos para periódicos e jornais engajados. Na filosofia, particularmente, O Ser e o Nada, um tratado de ontologia fenomenológica, constitui a sua obra maior. Ante produção tão diversificada é comum que se espere uma ênfase maior em alguma dessas áreas da produção intelectual. Não obstante, não é o que ocorre com este autor múltiplo, que logrou destaque em todos esses gêneros. É possível constatar, contudo que a maior parte dos infindáveis comentadores inspirados por esse pensamento atribuíram maior relevância aos trabalhos de caráter filosófico, chegando inclusive a considerar sua obra ficcional como uma “expressão simplificadora da obra teórica”. Eis uma afirmação que incita a interrogar o que caracteriza a relação entre filosofia e literatura na obra do mestre francês. Aproximar filosofia e literatura não é algo novo. Não obstante, ainda são poucos aqueles autores que não se mostram resistentes quando tal aproximação é proposta. Thiago Rodrigues é doutorando e Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Tem como núcleo de suas pesquisas e de seus escritos os seguintes temas: Ética e literatura; filosofias da existência; criação, imaginação e imaginário; filosofia e literatura.

pdf