Ricardo Pereira Tassinari & Outros (Orgs.) – Enciclopédia Das Ciências Filosóficas: 200 Anos

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

Enciclopédia Das Ciências Filosóficas: 200 Anos – O Congresso Internacional da Sociedade Hegel Brasileira (SHB) é um evento que ocorre a cada dois anos com a finalidade de promover o intercâmbio científico-filosófico sobre estudos e pesquisas relativas à filosofia de G. W. F. Hegel desenvolvidos no Brasil e internacionalmente. G. W. F. Hegel é um dos pensadores mais reconhecidos na história da filosofia contemporânea. (mais…)

G. W. F. Hegel – Sobre As Maneiras Científicas De Tratar O Direito Natural

Posted on Leave a commentPosted in Direito, Filosofia

Sobre As Maneiras Científicas De Tratar O Direito Natural critica as formas correntes de abordagens do Direito Natural. Nem o jusnaturalismo empírico, nem o jusnaturalismo transcendental kantiano perceberam a natureza orgânica da vida política, impedindo assim a compreensão do fundamento ético do Direito.
O projeto jurídico hegeliano é o de um Direito especulativo, ou seja, um direito de natureza ética. Aqui, a suprassunção das contradições concretiza-se no momento especulativo, isto é, na identidade da identidade e da diferença. Este projeto será, de fato, desenvolvido ao longo da trajetória filosófica hegeliana, consolidando-se, posteriormente, em todos os momentos de sua obra sistemática. (mais…)

G. W. F. Hegel – Princípios Da Filosofia Do Direito

Posted on Leave a commentPosted in Direito, Filosofia

Princípios Da Filosofia Do Direito saiu em Berlim em 1918. Trata-se do desenvolvimento de uma seção da Enciclopédia das ciências filosóficas publicada no ano anterior e onde Hegel expõe de maneira dogmática esse pensamento, agora já tendo atingido sua forma definitiva. O que Hegel chama de Direito não é o direito abstrato, que nos vem dos romanos, nem o direito natural. ´É a existência da vontade livre´; é a ´liberdade consciente de si´, o direito da pessoa, por exemplo, é apenas um momento no devir desta liberdade. No sentido hegeliano, podemos ainda situar o direito na história do espírito. (mais…)

Hardy Neumann Y Otros (Orgs.) – Hegel Y El Proyecto De Una Enciclopedia Filosófica

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

El proyecto profundamente enraizado en el pensamiento de Hegel de desplegar la filosofía en la forma del saber enciclopédico se presentó por primera vez de forma claramente definida en la Enciclopedia de las Ciencias Filosóficas publicada en Heidelberg en 1817. Doscientos años tras la publicación de la Enciclopedia de Heidelberg este proyecto continúa siendo uno de los aspectos más incomprendidos de la filosofía hegeliana. (mais…)

G. W F. Hegel – Fenomenologia Do Espírito

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

A Fenomenologia do Espírito é uma obra, por tantos títulos original e mesmo única dentro da tradição do escrito filosófico, e que assinala em 1807 (o autor contava então 37 anos) a aparição de Hegel no primeiro plano de cena filosófica alemã.
Tendo publicado até então apenas artigos ou pequenos escritos mas tendo, por outro lado, amadurecido durante os anos do seu ensinamento na Universidade de lena ( 1801-1806) as grandes linhas do seu sistema no confronto com os grandes mestres do Idealismo alemão, sobretudo Kant, Fichte e Schelling, Hegel pretende fazer da Fenomenologia o pórtico grandioso desse sistema que se apresenta orgulhosamente como Sistema da Ciência. (mais…)

Agemir Bavaresco & Outros (Orgs.) – Leituras Da Lógica De Hegel

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

Esta publicação é fruto do primeiro Encontro Nacional sobre a Ciência da Lógica De Hegel, realizado nos dias 27 e 28 de setembro de 2017, no Auditório do Prédio 5 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande de Sul, em Porto Alegre.
Esse encontro foi idealizado a fim de reunir pesquisadores, estudantes e público em geral interessados nas discussões acerca da filosofia hegeliana, em especial, daquelas que concernem à Ciência da Lógica. (mais…)

Héctor Ferreiro & Outros (Orgs.) – Os Aportes Do Itinerário Intelectual De Kant A Hegel: Comunicações Do I Congresso Germano-Latinoamericano Sobre A Filosofía De Hegel

Posted on Leave a commentPosted in Fisiologia

O desenvolvimento da reflexão filosófica que se realizou no período delimitado pelas obras de Kant e de Hegel é um dos mais importantes da história da filosofia.
Neste contexto resulta de especial interesse a questão do sentido e valor da metafísica: a crítica de Kant à metafísica abriu para o pensamento filosófico novos horizontes (mais…)

Paulo Roberto Konzen – O Conceito De Amor Ético Na Filosofia Do Direito De G. W. F. Hegel

Posted on Leave a commentPosted in Direito, Filosofia

O objetivo do presente trabalho, tal como consta no projeto pessoal de pós-doutorado em Filosofia na UFSC, é buscar apresentar e analisar os conceitos hegelianos de “amor ético” (sittliche Liebe) e o de “disposição espiritual do amor” (Gesinnung der Liebe), usados respectivamente nos §§ 172 e 164 A da sua Filosofia do Direito (Philosophie des Rechts), pois são essenciais ou determinantes para compreender a sua Filosofia Política, a qual proporciona muitos aspectos atuais para nossos dias. Em resumo, os citados conceitos de “disposição espiritual” (Gesinnung), de “amor” (Liebe) e/ou de “amor ético” (sittliche Liebe), em Hegel, são empregados com rigor e coerência para definir e esclarecer a questão ou o tema essencial, por exemplo, do que é o “ético” (Sittlich), a “relação ética” (sittliche Verhältnis), o “amor espiritual” (geistige Liebe), o “amor autoconsciente” (selbstbewußte Liebe), a “disposição espiritual ética” (sittliche Gesinnung) e, ainda, a “disposição espiritual política” (politische Gesinnung), todos elementos determinantes da importante teoria hegeliana de “casamento” (Ehe), de “família” (Familie) e de “Eticidade” (Sittlichkeit). Em síntese, o objetivo principal e específico é responder e analisar a seguinte pergunta: – Afinal, para Hegel, na sua Filosofia do Direito, o que é “amor ético” (sittliche Liebe)? Para isso, o texto foi dividido em três partes: primeiro (1º), apresentando breves aspectos históricos sobre o conceito de amor hegeliano na história da filosofia, vendo se e como Hegel é citado; segundo (2º), expondo o contexto de alegada destruição do conceito de amor na época de Hegel e sua reação ao citado problema; e, enfim, terceiro (3º), com a exposição e a análise do conceito de amor ético na sua Filosofia do Direito ou no todo de sua Filosofia do Espírito Objetivo.
Trata-se de uma pesquisa, exposição e análise crítico-filológica, histórica e hermenêutica de toda obra de Hegel, buscando apreender de forma adequada os vários conceitos citados, sem deixar de considerar e ressaltar o seu exame crítico e a inserção do seu pensamento filosófico no âmbito mais abrangente da História da Filosofia, refletindo ainda sobre o seu espaço e papel na discussão atual em torno de questões essenciais, tais como Filosofia Política e Ética.

Georg Wilhelm Friedrich Hegel – A Razão Na História: Uma Introdução Geral À Filosofia Da História

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

Nenhum outro sistema filosófico exerceu uma influência tão forte e tão duradoura na vida política como a metafísica de Hegel. Todas as ideologias recentes trazem a sua marca. Hegel trabalhou historicamente uma antítese contra a Idade Média: a eficiência social contra a moral cristã. A tarefa de nosso tempo parece ser a de produzir uma síntese das duas. Estas lições de Hegel não abarcam apenas a História Universal filosófica, mas percorrem a própria História Universal global; não se limitam a reflexões gerais explicativas de exemplos extraídos da História, mas abordam a própria História Universal, numa representação geral e determinada, tendo por base o conceito e os princípios que Hegel tanto defendeu como ensinou.

André Oliveira Costa – Lógica Da Alteridade: Uma Leitura Da Figura Do Senhor E Do Servo De Hegel

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia

Poderíamos afirmar que a Filosofia de Hegel independe da alteridade para o seu desenvolvimento? É possível compreendermos a alteridade como um estatuto fundamental para o pensamento hegeliano? Trata-se de perguntas que ingressam em grandes discussões a respeito do pensamento de Hegel, assim como nas críticas que este sofre por diferentes intérpretes. Se por um lado encontramos filósofos que compreendem este conceito como um elemento suprimido da doutrina hegeliana, por outro lado, verificamos leituras mais próximas que o consideram um elemento necessário para o desenvolvimento de sua estrutura sistemática como um todo. Nesse livro pretendemos investigar o estatuto da alteridade na Filosofia de Hegel.

Tarcilio Ciotta – O Conceito De Sociedade Civil Em Hegel E O Princípio Da Liberdade Subjetiva

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia

O livro tem como objeto de estudo o conceito de Sociedade Civil a partir da Filosofia do Direito de Hegel. Nessa perspectiva, o objetivo central desta investigação consiste em expor e demonstrar como Hegel, a partir de sua lógica especulativa, concebe este conceito enquanto emergência de uma nova figura da ideia ética, ideia esta que perfaz e abarca os acontecimentos do mundo moderno e apreende, neste aparecer fenomênico, o desenho e o progredir imanente da ideia da liberdade que se apresenta enquanto direito da particularidade e desenvolvimento histórico do princípio da liberdade subjetiva.