Angela Davis – Racismo No Movimento Sufragista Feminino

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais

Racismo No Movimento Sufragista Feminino – Neste texto extraído da obra Mulheres, Raça E Classe, Angela Davis trata do tema do racismo no movimento sufragista feminino, discutindo o papel da interseccionalidade na construção de uma sociedade igualitária e justa. Mulheres, raça e classe é a mais importante obra de Angela Davis, onde a filósofa e ativista traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe. (mais…)

Angela Davis – Educação E Libertação

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Educação

Educação E Libertação: A Perspectiva Das Mulheres Negras – Neste texto extraído da obra Mulheres, Raça & Classe, Angela Davis trata do tema da educação e de seu potencial libertador, a partir da perspectiva das mulheres negras. Mulheres, Raça & Classe é a mais importante obra de Angela Davis, onde a filósofa e ativista traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe. (mais…)

Angela Davis – Mulheres, Raça & Classe

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais

Mais importante obra de Angela Davis, Mulheres, raça e classe traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe.
A perspectiva adotada por Davis realça o mérito do livro: desloca olhares viciados sobre o tema em tela e atribui centralidade ao papel das mulheres negras na luta contra as explorações que se perpetuam no presente, reelaborando-se. O reexame operado pela escrita dessa ativista mundialmente conhecida é indispensável para a compreensão da realidade do nosso país, pois reforça a práxis do feminismo negro brasileiro, segundo o qual a inobservância do lugar das mulheres negras nas ideias e projetos que pensaram e pensam o Brasil vem adiando diagnósticos mais precisos sobre desigualdade, discriminação, pobreza, entre outras variáveis. Grande parte da nossa tradição teórica e política (Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, para ficarmos em poucos exemplos) insiste em confinar as questões aqui tratadas por Davis na esfera privada, como se apenas desta proviesse sua solução.