Ovídio – Metamorfoses (Seleta Bilíngue Traduzida Por Bocage)
Um Clássico duas vezes, no original e na tradução, em edição preparada especialmente para os que querem estudar e aprender.
Apresentamos neste volume: 1) extensos comentários explicativos, 2) glossário, 3) resumo em prosa antes de cada mito e 4) introdução que sugere como tirar o máximo da obra. Edição bilíngüe latim-português.
Os poemas de Metamorfoses foram escritos por um clássico da literatura latina, e traduzidos por um outro, da portuguesa.
Trata-se, portanto, dum clássico elevado ao quadrado. E vendo tantas vezes a palavra “clássico”, o leitor talvez se espante ao saber que esta edição não se destina a eruditos necrófilos, às traças de alguma biblioteca pública ou ao movimentado mercado dos “sebos” – donde saem e para onde voltam tantas vezes os mesmos volumes.
Metamorfoses, foi publicado para crianças e adultos, com ou sem curso superior, saudáveis ou doentes, com uma única condição: que tenham dentro de si o desejo sincero de estudar e aprender, de tornar-se cidadãos cultos, de absorver e retransmitir aos seus próximos a tradição cultural de que Ovídio e Bocage são representantes.

O poeta Ovídio nasceu em Sulmona, em 43 a.C. Recebeu sua educação em Roma, onde também descobriu sua vocação para a poesia.
Trabalhou em alguns cargos públicos, mas renunciou à carreira para se dedicar à literatura. Ainda jovem, aos 25 anos, publicou “Amores”, obra que o colocou em evidência na época.
Mas também pode ter sido a causa de sua ruína. Após experimentar o sucesso e ficar entre os poetas mais festejados e disputados, Ovídio foi condenado ao exílio pelo imperador Augusto. Os motivos nunca foram totalmente esclarecidos.
Alguns atribuem ao fato de que “Amores” instigaria o público feminino para a prática do adultério, comportamento censurado pelo imperador.
Outros dizem que, na verdade, Ovídio foi punido por se envolver em um escândalo no palácio.
Ovídio, então, partiu para Tomi, uma pequena guarnição romana nas costas do Mar Negro. Durante o período de exílio, Ovídio continuou a escrever, o resultado foram obras como “Tristes” e “Pônticas”.
Sua obra mais conhecida, Metamorfoses, é considerada até hoje como uma enciclopédia completa de mitologia clássica.
Ovídio ainda tentou voltar para Roma, mas seu pedido foi negado por Augusto e depois pelo imperador Tibério. O poeta faleceu no exílio, em 17 ou 18 d.C.

Deixe uma resposta