Educação E Diversidade Cultural traz um amplo espectro de temas da educação da infância como formação docente, currículo, cultura, brincar, entre outros.
Educação E Diversidade Cultural traz um amplo espectro de temas da educação da infância como formação docente, currículo, cultura, brincar, entre outros.

Marcia Aparecida Gobbi & Maria Letícia Barros Pedroso Nascimento (Orgs.) – Educação E Diversidade Cultural: Desafios Para Os Estudos Da Infância E Da Formação Docente

Educação e Diversidade Cultural é uma obra que reúne textos sobre a criança e a infância a partir da clave teórica: diversidade.

As temáticas abordadas em Educação e Diversidade Culturalsão frutos de estudos e pesquisas de pesquisadoras e pesquisadores que vêm modificando de maneira contundente e rigorosa a atmosfera teórica do amplo campo dos estudos da infância e da criança e de sua educação a partir das perspectivas da sociologia, da geografia, da antropologia, da história e que vem sendo chamado de Estudos Sociais da Infância.

Os assuntos tratados em Educação e Diversidade Cultural fazem parte do amplo espectro de temas da educação da infância como formação docente, currículo, cultura, brincar, entre outros, mas ganham uma originalidade e uma nova potência teórica na medida em que são tratados sob a perspectiva da diferença e da diversidade.

Na obra apresentada, as relações de gênero e sexualidade, as relações raciais, a cultura infantil ao serem configuradas com as relações etárias: as crianças em suas infâncias iluminam, ao mesmo tempo, a singularidade, o particular do estudo feito, e o geral, o social mais amplo que o singular e o particular infletem.

Isto significa dizer se os estudos sociais tomam a criança como uma construção social, é a singularidade que deve ser diagramada e não um pressuposto universal presente em uma ideia abstrata de criança seja biológica, seja natural ou com um desenvolvimento e/ou comportamentos universais.

Podemos dizer que a obra é contemporânea, e, portanto traz toda a complexidade da atualidade; as luzes e as sombras de uma época. Temos assistido as dificuldades pelas quais as escolas trabalham com as diferenças e, por vezes, as colocam no lugar do desvio, portanto unificar as temáticas da criança e da infância com e na perspectiva da diferença é certamente uma afirmação política que inverte hierarquias de poder e de saber.

É uma inversão na ordem do saber, pois há um esforço epistemológico e metodológico que vem sendo construído para compreender o que diz, pensa, sente e deseja a criança a partir de sua própria perspectiva e é inversão de poder, na medida em que a sociedade contemporânea se constrói no interior da lógica adultocêntrica.

Deixe uma resposta