Contos De Amor E Ciúme – Machado de Assis construiu toda a sua obra de ficção sobre os mistérios do amor e de sua sombra, o ciúme. Mistérios que qualquer leitor – apaixonado ou não – deseja esclarecer, pelo menos um pouco que seja. Boa razão, então para ler os contos aqui reunidos, porque eles fazem rir, apontam sutilezas e, principalmente, induzem à reflexão.
Contos De Amor E Ciúme reúne seis contos publicados originalmente entre 1864 e 1884, em periódicos como o Jornal das famílias, A estação e a Gazeta de Notícias. Histórias famosas do escritor, como “A cartomante” e “To be or not to be”, convivem com outras menos conhecidas do público atual como “Frei Simão”, “O segredo de Augusta”, “O machete” e “Curiosidade”, além do delicado poema “A Carolina”, publicado em 1906, em que Machado faz uma homenagem a sua mulher, morta dois anos antes. Em todos eles, Machado reflete sobre a face oculta do amor por meio de histórias muito bem construídas e ricas de múltiplos significados.
Segundo Gustavo Bernardo, iniciar a leitura de Machado de Assis pelos contos é uma boa forma de se familiarizar com a sua obra e despertar nos jovens a paixão pelo grande escritor.
Para ele, “o texto de Machado de Assis não é de modo algum hermético e suas sutilezas irônicas fazem um bom par com a ironia natural dos jovens”. De fato, a ironia está presente em toda a obra de Machado, e não poderia ser diferente nos contos que compõem Contos De Amor E Ciúme, seja para provocar reflexões sobre as relações humanas ou criticar as instituições políticas, sociais e religiosas.
Como explica Gustavo Bernardo na apresentação da obra: “O amor, muitas vezes associado ao ciúme ou ao medo extremo da traição, serve também de vitrine para o autor expor a sua verve crítica e irônica sobre o comportamento da sociedade no fim do século XIX.”

Camisa “E Viva A Diferença!”

Deixe uma resposta