Josivaldo Pires De Oliveira & Luiz Augusto Pinheiro Leal – Capoeira, Identidade E Gênero: Ensaios Sobre A História Social Da Capoeira No Brasil
A capoeira faz pouco tempo deixou os pés de páginas dos compêndios mais importantes da história nacional para adquirir vida própria, tornando-se ela mesma tema de volumosos trabalhos, que desvelam planos e horizontes antes absolutamente desconhecidos da nossa historiografia.
O trabalho aqui apresentado de Luiz Augusto e Josivaldo faz parte desta nova safra.
O objetivo maior da obra não deixa de ser original. Retirar a capoeira de certo nicho, reduto marcado pelo exotismo, pela “folclorização” (com todo respeito pelos trabalhos de folclore) e de um campo mitológico empolgante, mas igualmente isolado e estigmatizado, para incorporá-la às questões maiores da formação da nacionalidade, da educação, da construção da identidade nacional.
Assim, pelas páginas de Luiz Augusto e Josivaldo, a capoeira finalmente torna-se parte integrante da história do país, da sua face, da sua gênese, faceta antes percebida, mas nunca explicitada.
Luiz Augusto Pinheiro Leal e Bel (apelido de Josivaldo Pires de Oliveira) já haviam trilhado caminhos novos e instigantes em tempos anteriores. Luiz Augusto, em sua dissertação de mestrado defendida na Universidade Federal da Bahia, abriu um imenso horizonte, antes insuspeito para a história da capoeira no Grão Pará da virada do século XIX para o século XX, de causar estupor a qualquer especialista da história da capoeira baiana e carioca.
Bel esqueceu um pouco a conhecida trajetória dos grandes mestres da capoeira do século XX para se debruçar sobre a “escória” de “desordeiros e valentes” que marcaram a imagem da capoeiragem na Cidade da Bahia antes do advento das escolas Regional e Angola.
Ambos abriram caminhos novos a partir de velhas trilhas. Em Capoeira, Identidade E Gênero: Ensaios Sobre A História Social Da Capoeira No Brasil, eles de novo abrem inéditas sendas.

 

Camisa Livros Voadores

Deixe uma resposta