Jeverton Soares Dos Santos – O Problema Da Fundamentação Da Moral Em Theodor Adorno

Este trabalho pretende abordar uma questão central na filosofia: o problema da fundamentação filosófica da moral. Este problema pode ser formulado da seguinte maneira: existe um fundamento último para as ações humanas a partir de certas normas morais?
Para refletir sobre esta questão, vamos considerar o pensamento de um dos principais filósofos do século passado: Theodor W. Adorno.
Apesar de ele não ter escrito claramente sobre esse problema, existe uma gama de elementos em sua filosofia que nos permite refletir sobre tal tema, especialmente em sua famosa obra Dialética do Esclarecimento, escrita a quatro mãos com Max Horkheimer.
No primeiro capítulo serão expostas brevemente as premissas básicas do pensamento de dois filósofos que contribuíram significativamente para a discussão sobre a fundamentação e também influenciaram grandemente a filosofia moral adorniana: Kant e Nietzsche.
Depois pretendemos abordar a polêmica acusação feita por Habermas de que a filosofia de Adorno é portadora de ceticismo ético.
No capítulo seguinte, através da análise da Dialética do Esclarecimento, queremos evidenciar que a crítica ao modelo da racionalidade esclarecedora, estende-se tanto para a esfera teórica quanto prática, no momento em que há um entrelaçamento entre o campo da fundamentação conceitual com a dominação na esfera do real.
No capítulo final, assumindo uma forma inacabada, tentaremos resgatar e explicitar a existência de elementos éticos na obra de Adorno, principalmente na Minima Moralia.
A tese central deste trabalho é que através do pensamento de Adorno podemos ter subsídios teóricos para a sustentação de uma teoria crítica da moral que, apesar de apontar para ambiguidades ou contradições nas tentativas de justificar as ações humanas, é portadora de um impulso moral, capaz de invalidar o relativismo e tornar possível a legitimidade de uma normatividade crítica.

Deixe uma resposta