Felisbelo Da Silva – Como Agem Os Ladrões E Como Nos Defendemos

Com este opúsculo, procuramos dar ao povo esclarecimento de como atuam os ladrões, isto é, a técnica por eles empregada, em suas façanhas.

Assim sendo, as pessoas incautas, sobretudo as que vêm do interior ou de pontos diversos do País, para esta alvissareira e sedutora Paulicêia, acautelar-se-ão melhor contra as constantes artimanhas dos inimigos do labutar honesto, amantes do alheio.

Nem os mais experientes, os que diariamente leem jornais e revistas dando maior atenção aos cabeçalhos policiais, estarão bastantes precavidos para enfrentar esses ínfimos indivíduos, pois haverão de comprovar – após lerem este livreto – que a maioria deles age com real perícia destacando-se muitos como exímios “mestres ”, neste ofício inominável.

Somente sabe lidar com ladrão, conhecendo-lhe o modo de proceder, o linguajar, etc,, quem está em contato direto com ele, O que acontece conosco, mercê de nossa função de policial Investigador, que além de tudo isso, buscamos cada dia conhecer psicologicamente o marginal, para melhor servirmos à condigna comunidade.

Diplomado que somos pela briosa Escola de Policia desta Capital em Datiloscopia – que é o moderno sistema de identificação por meio das impressões digitais – e no cargo que atualmente ocupamos, vimos expor aqui tão somente o que nos ensinaram mestres como o Prof, Dr. José César Pestana, D. D. Diretor daquele estabelecimento singular inteligência e dinamismo sábio; o eminente Prof. Carlos Kehdy, o Dr. Coriolano Nogueira Cobra, Prof, de Investigação Policial, e os demais lentes que integram o corpo docente daquele estabelecimento de ensino que muito enaltece São Paulo – que é o orgulho do Brasil.

Apresentamos – outrossim – os principais “Contos do Vigário” e as táticas empregadas pelos vadios nesse “labor” que exige maior habilidade e astúcia, de que é referta a malandragem.

Portanto, não se trata de história de ficção, o que vamos narrar, mas de fatos verídicos, que aconteceram e todos os dias acontecem, mormente em nossa progressiva Metrópole, a qual tem dado campo favorável a malandros nacionais, e principalmente internacionais.

E – como apêndice – expomos alguns termos do interessante linguajar dos meliantes, do qual o leitor aquilatará a premência de se saber também traduzir algo do vasto vocabulário dos ladrões, para com mais eficiência defender-se dos seus variadíssimos ardis.

 

Camisa “Espere Eu Acabar Esse Capítulo!”

Deixe uma resposta