Eleone Ferraz De Assis – Iconicidade Lexical: O Insólito Em Sombras De Reis Barbudos
O volume condensa a pesquisa desenvolvida em busca da comprovação da tese de que Sombras de Reis Barbudos, de José Jacinto Veiga enquadrava-se na matriz do insólito, Eleone buscou amparo na camada lexical do romance.
Para que seus achados se mostrassem mais consistentes, buscou auxílio da Linguística de Córpus, com vista a oferecer um perfil quantitativo que pudesse referendar suas análises de base qualitativa.
Para que esse trabalho fosse realizado com maior segurança buscou-se a coorientação do especialista no insólito na literatura, Professor Doutor Flavio García (UERJ), para que conduzisse os estudos em sua face vinculada à literatura.
Da mesma forma, solicitamos o apoio da Profa. Dra. Tania Shepherd (UERJ), com alta experiência na linguística da córpus, para que Eleone se aprofundasse no manejo das ferramentas do WordSmith Tools, software voltado para a pesquisa lexical.
Construído esse patamar, partiu o estudioso para suas buscas do que veio a resultar um trabalho muito bem fundamentado e recheado por um exemplário muito rico, que pode entusiasmar outros estudiosos à produção de pesquisas similares, uma vez que o estudo do léxico é um manancial inesgotável, e o insólito na literatura vem ganhando mais e mais força a cada dia.
Os temas que se cruzam nesse livro dão destaque à teoria da iconicidade verbal, uma vez que, por seu intermédio e com as ajudas quantitativas e estatísticas do software, consegue apresentar ao leitor um levantamento de itens lexicais que indiscutivelmente comprovam a existência de passagens insólitas no romance-córpus.
Usada como metodologia, a linguística de córpus auxilia o levantamento de itens léxicos, matematicamente controlado, favorecendo a identificação de signos que, efetivamente, funcionam como ícones e índices do insólito na superfície do texto do escritor goiano.
Outro mérito, que pode ser apreciado nas páginas do livro, é o percurso orientado pelo funcionalismo sistêmico que surge então como coadjuvante da teoria da iconicidade, permitindo o exame da incongruência lexical a partir da comparação das estruturas lexicogramaticais do romance com as colocações do Português do Brasil e de Portugal, lançando mão para tanto do Córpus do Português, utilizado como material de referência para os assentamentos.

 

Camisa Pessoa

Deixe uma resposta