Dilma Beatriz Rocha Juliano & Outros (Orgs.) – Televisão: Formas Audiovisuais De Ficção E Documentário Vol. III
A televisão pensada como meio cultural, informativo, de entretenimento marcado histórica e ideologicamente, já obteve reconhecimento há muito, na sociedade brasileira. Trata-se de um “bem simbólico” e é validada como “fato social”.
No entanto, sua legitimidade acadêmica ainda é recente e são tímidas as análises que a incluem no escopo das manifestações culturais e artísticas de reconhecimento mais antigo.
Esta realidade, é possível afirmar, é mais do que apenas brasileira; os estudos sobre a complexidade de produção, os intercâmbios técnicos e os hibridismos estéticos na televisão também são poucos no âmbito das pesquisas universitárias internacionais.
Adorno estava correto ao prevenir que é preciso olhar com desconfiança para a televisão em seu caráter “educativo” e “emancipatório”.
A desconfiança daqueles que perguntam, que vão além da superfície do objeto, mantém sob debate a dinâmica cultural na qual se inserem as produções e os arranjos televisivos.
Ampliar o modo de ver, estender linhas em várias direções, permitir o estudo das práticas televisivas em suas inegáveis conexões e infinitos cruzamentos, é a tarefa do crítico da cultura que percebe o meio imbricado na complexa rede do audiovisual contemporâneo.
É sob esta demanda crítica que o Seminário Televisão: formas audiovisuais de ficção e documentário traz o Volume III de sua publicação, onde podem ser lidas e recolocadas em debate as reflexões de pesquisadores, acadêmicos e produtores participantes do Seminário, em 2012.
O Seminário vem acontecendo, desde 2010, nos Encontros Anuais da SOCINE – Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual –, que a par da dinâmica cultural estende seus estudos sobre a ficção e o documentário exibidos em TV, reunindo pesquisadores com os mais variados interesses, instituições, regiões geográficas e abordagens teóricas.
Este volume agrega o resultado dos debates desenvolvidos em 2012, mas sem encerrar ou apaziguar as dúvidas. A intenção é expor trajetórias de pesquisa, marcar lugares – sempre – provisórios de análises e contribuir para o reposicionamento da discussão sobre a complexa produção de ficção e de documentário para a TV.
Os capítulos deste livro estão distribuídos em três sessões que aproximam os textos, mas não os contêm, uma vez que é reconhecida a impossibilidade de fixar classificações em se tratando dos fluidos objetos da cultura.

 

Camisa Pessoa

Deixe uma resposta