O rádio vive um momento apaixonante. Outra vez precisa se reinventar diante da ruptura das formas de fazer e consumir o rádio impostas pelo cenário de convergência digital em que se inserem todos os meios tradicionais. Como se comprovou ao longo de sua história, são estes momentos de mudança tecnológica os que finalmente criam oportunidades para explorar novos caminhos narrativos e dialogar com a audiência.
A aparição do rádio no começo do século XX supôs uma mudança radical nos sistemas de comunicação. Mudou-se da narrativa escrita à narrativa oral, do campo visual ao auditivo. Hoje, cem anos depois, assistimos a uma nova mudança nos sistemas de comunicação, que obriga a repensar a forma de contar dos meios tradicionais. O rádio, como os meios impressos e a televisão, tem que redefinir seus fazeres a partir do novo conjunto de condições que impõe o cenário da era digital. Desde a aparição da televisão, muitos previram que o rádio vivia seus últimos dias. A tecnologia digital voltou a trazer à tona este velho debate.
De todos os modelos de rádio, atualmente o formato All News é o mais questionado. Entre outras razões, porque o rádio perdeu o monopólio no que até hoje definiu sua natureza informativa: a instantaneidade, a simultaneidade, a ubiqüidade e a proximidade. A internet potencializa estas características essenciais do rádio, apropria-se delas e as transpõe ao resto dos meios que utilizam este suporte, ampliando a concorrência a limites até agora desconhecidos.
Contudo, o rádio continua com boa saúde e em muitos mercados a porcentagem de penetração oscila entre 75 e 90% da população acima de 12 anos. No ano de 2009 existiam nos Estados Unidos, o maior mercado de rádio informativo, um total de 59 emissoras All News, 2 a mais que em 2008. Vinte destas emissoras transmitiam exclusivamente pela internet e um total de 15 milhões de ouvintes as escutavam semanalmente. Se somarmos a isso as emissoras que baseiam seu modelo de programação nas combinações News/Talk/Information, os Estados Unidos contabilizaram em 2009 um total de 1583 rádio cujo discurso principal é a atualidade informativa, 50 emissoras a mais que no ano anterior.

Deixe uma resposta