David Harvey – 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo

David Harvey – 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo
A inovação é vista como subproduto do capitalismo quando, na verdade, é o resultado do intelecto humano e da vida em sociedade.
Mantida em cativeiro pelo capital, concentra riqueza e gera desigualdade. Para David Harvey, o motor desse processo está falhando e temos a oportunidade de repensá-lo.
Em 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo, analisa as crises do capitalismo e como podemos, enfim, superá-lo. E propõe ideias para a prática política, subordinando a economia à dignidade humana e não ao lucro e garantindo que, sob novos parâmetros, a busca perpétua pela novidade continue.
Para a sociedade ocidental moderna, o capital parece tão natural como o ar que se respira, e quase ninguém pensa em questioná-lo.
Mas saber o que faz o capital funcionar – e o que, por outro lado, pode abalar suas bases – é crucial para compreender sua saúde em longo prazo, bem como as vastas implicações de qualquer mudança para a economia global.
É o que faz o geógrafo britânico David Harvey em 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo, ao revelar a vanguarda de suas análises das dinâmicas do capital e destrinchar as contradições internas desse motor econômico.
Escrito em linguagem acessível, 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo coroa o “Projeto Marx”, que orienta a obra de Harvey há vinte anos, repensando Karl Marx em época de mutação e crise do capitalismo.
A decisão de focar a análise nas contradições se deve em parte ao escritos do filósofo alemão, que enfatizou diversas vezes que crises do tipo que o mundo viveu em 2007-2008 são manifestações superficiais de contradições internas do capital.
O objetivo de Harvey, em 17 Contradições E O Fim Do Capitalismo, é inverter o uso da ideia de contradição como ponto final da reflexão e torná-la o início da conversa, em particular sobre o que seria uma política anticapitalista e como poderíamos entender as crises.

 

Camisa “E Viva A Diferença!”

Deixe uma resposta