Cora Coralina – O Tesouro Da Casa Velha

Cora Coralina – O Tesouro Da Casa Velha
Poeta em tempo integral, de sensibilidade sempre aberta à vida, Cora Coralina escreveu também em boa prosa, como se comprova em O Tesouro Da Casa Velha.
Livro da velhice, redigido depois dos 90 anos, reúne 18 contos, vários deles baseados em experiências pessoais e todos com a marca pessoal de encanto e magia de Cora Coralina.
O Tesouro Da Casa Velha é uma coletânea póstuma de contos, com seleção de Dalila Teles Veras por ocasião do centenário da autora.
O Tesouro Da Casa Velha traz 18 histórias inéditas que, tendo como ponto de referência a Casa Velha da Ponte, trazem para o público uma importante parte do espólio literário deixado por Cora Coralina.
Cora Coralina transformou sua vivência em agudíssima memória e contos, que são registros histórico-sociais de uma época que já vai muito longe e da qual a própria autora foi personagem.
O Tesouro Da Casa Velha são poemas que viraram contos, personagens que mudaram de nomes, girando em ciranda ao redor de Casa Velha da Ponte e dos Becos encantados da velha Goiás, às vezes pelo interior do Estado de São Paulo onde a poeta recolheu sua melhor vivência telúrica que resultou em páginas belíssimas.
Imagens que se sucedem, a cada vez enriquecidas de novos detalhes, novas óticas, de tom sempre lírico, mesclado com pitadas de humor e severas críticas de costumes.
Regional? Sim, a exemplo de Guimarães Rosa, Jorge Amado ou Graciliano Ramos. Mas, a região, assim como naqueles autores, formou apenas o pano de fundo para a composição de algo mais amplo: a visão de mundo da poeta, o perscrutar da alma humana, que essa é sempre universal.
Assim como outras grandes poetas (Cecília Meireles, Florbela Espanca, Emily Dickinson), Cora não se filiou a nenhuma corrente literária. Foi uma voz única, solitária, singular, que, mesmo tardiamente, rompeu o isolamento de seu Estado para ser inserida no contexto nacional.

 

Camisa “Espere Eu Acabar Esse Capítulo!”

Deixe uma resposta