Confúcio – Os Analectos

Os Analectos de Confúcio, também conhecidos como Diálogos de Confúcio, constituem o livro doutrinal mais importante do confucionismo e é constituído por uma seleção de textos atribuídos a este pensador chinês e aos seus discípulos.

Ao longo do tempo, Os Analectos foi tão lido na China quanto a Bíblia no Ocidente, sendo considerado o único registro confiável dos ensinamentos de Confúcio.

O grande pensador chinês, mais do que uma filosofia, criou uma diferenciada visão de vida, na qual o ponto central é o homem moralmente ideal.

Os vinte livros que compõem o Lun yü, comumente conhecido como Os Analectos, reúnem um conjunto de elevados valores éticos que conduzem o homem na busca da excelência moral, a partir do cultivo de princípios como benevolência, sabedoria e coragem.

Confúcio teve ainda em a vida a reputação de sábio. Embora fosse de descendência nobre, nasceu em circunstâncias bastante humildes no reino de Lu, na atual província de Shantung.

Após um afastamento de dez anos, retornou à cidade natal, onde passou o resto da vida ensinando a um grupo de talentosos e devotados discípulos sobre o conceito central de sua vida, o chün tzu: um homem cujo caráter contém a virtude da benevolência e cujos atos estão de acordo com os ritos e a retidão.

Confúcio viveu na China, entre 551 e 479 a., e exerceu e ainda exerce profunda influência na cultura chinesa, e em especial no que diz respeito à educação e à moral, tendo como centro o homem.

Como muitos outros grandes homens do passado, nada escreveu e Os Analectos são uma coletânea de aforismos feita por seus discípulos e difícil de interpretar, tanto pela linguagem chinesa pictórica como por simbólica, que, com certeza, ao longo de sucessivas traduções teve alguns significados alterados.

Esse trabalho conjunto resultou em uma versão comentada, que conta ainda com um glossário de nomes de pessoas e lugares citados ao longo do texto e três apêndices: o primeiro, sobre a vida de Confúcio, acompanhado de uma cronologia; o segundo, sobre os discípulos responsáveis pela compilação do texto, e o terceiro, sobre a historiografia de Os Analectos.

 

Caneca Lua Cheia | Branca

Deixe uma resposta