Coleção Anarquistas & Libertários

Imaginamos que você já tenha visto esse A com um círculo em volta, todo “rabiscado”.

Pois bem, esse é o símbolo da Anarquismo que, assim como o socialismo ou o liberalismo, é uma ideologia.

Vamos entender o que significa ser anarquista?

A palavra “anarquismo” tem origem na palavra grega anarkhia, que significa “ausência de governo”.

O anarquismo é uma corrente de pensamento, uma teoria e ideologia política que não acredita em nenhuma forma de dominação – inclusive a do Estado sobre a população – ou de hierarquia e prega a cultura da autogestão e da coletividade.

Alguns dos valores defendidos pelos anarquistas são:
– liberdade individual e coletiva, para o desenvolvimento de pensamento crítico e todas as capacidades individuais das pessoas;
– igualdade – em termos econômicos, políticos e sociais, valor que inclui questões de gênero e raça;
– solidariedade – a teoria anarquista só tem sentido se há entre as pessoas apoio mútuo, com colaboração e espírito de coletividade.

O anarquismo critica principalmente exploração econômica do sistema capitalista e o que chama de dominação político-burocrática e da coação física do Estado.

Os anarquistas não buscam uma revolução política, mas uma revolução social, que parta da maioria da população, dos trabalhadores, da classe que sofre alguma forma de dominação.

Sua ideia principal é a horizontalidade: um território em que não exista Estado, nem hierarquia e em que a população faça a autogestão da vida coletiva.

O anarquismo surgiu no século XIX, no contexto de expansão e fortalecimento do capitalismo ao redor do globo. Por conta da Segunda Revolução Industrial, integraram-se estruturas econômicas mundiais e foram consolidados os Estados modernos.

A difusão das ideias racionalistas da Revolução Francesa, como a liberdade individual, de expressão e a igualdade em todos os sentidos contribuíram para o fortalecimento da ciência e no enfraquecimento da influência da religião.

Outro fator importante foi o socialismo e o comunismo, cujos ideais trouxeram a classe trabalhadora para a linha de frente o protagonismo, o que também influenciou o anarquismo.

O surgimento do anarquismo ocorreu por meio da Associação Internacional dos Trabalhadores, localizada em Londres, na Inglaterra, na década de 1860.

A ideologia foi inspirada principalmente nos pensamentos de Pierre-Joseph Proudhon, cujas ideias foram tidas como a base do pensamento dos trabalhadores europeus no século em questão.

Entre 1868 e 1894, já havia se desenvolvido significativamente e também havia sido difundido globalmente e teve grande influência dentro dos movimentos operários até 1949.

A ideologia teve cinco grandes ondas, que diferenciam a atuação do movimento no mundo e a sua influência até os dias atuais.

(Carla Mereles, politize)

Esta Coleção Anarquistas & Libertários traz 60 livros e artigos de diversos pensadores anarquistas, desde os escritores do século XIX, até os contemporâneos.

A Abolição Da Estupidez – Robert Anton Wilson

A Desobediência Civil – Henry David Thoreau

A Doutrina Anarquista Ao Alcance De Todos – José Oiticica

A Falência Da Política – Maurício Tragtenberg

A Filosofia Do Anarquismo – Herbert Read

A Ilusão Do Sufrágio Universal – Mikhail Bakunin

A Insurreição Que Vem – Comitê Invisível

A Inutilidade Das Leis – Piotr Kropotkin

A Lei E A Autoridade – Piotr Kropotkin

A Revolução Anarquista – Nestor Makhno

A Sustentável Leveza Do Estado – António Baião

A Utopia Não-Utópica De Proudhon – Maurício Rasia Cossio

ABC Do Anarquismo – Edgar Rodrigues

Ação Direta – José Oiticica

Ajuda Mútua: Um Fator De Evolução – Piotr Kropotkin

Anarquia, Estado E Utopia – Robert Nozick

Anarquismo Básico – Confederación Nacional Del Trabajo (C.N.T.)

Anarquismo Construtivo – G. P. Maximoff

Anarquismo E Analítica Do Poder – Camila Jourdan

Anarquismo E Conhecimento – Alberto Oliva

Anarquismos E Governamentalidade – Gilvanildo Oliveira

Antiestatismo E Poder Político – Clayton Peron Franco de Godoy

Anarquismo Para Principiantes – Marcos Mayer

Anarquismo: Roteiro da Libertação Social – Edgard Leuenroth

Autogestão, Cooperativa, Economia Solidária – Maurício Sardá De Farias

Autogestão, Gestão Direta, Gestão Operária – Maurice Joyeux

Blásfemos E Sonhadores – Carlos Eduardo Frankiw De Andrade

Da Conquista Do Poder – Adriano Botelho

Da Periferia Para O Centro – Felipe Corrêa

De Baixo Para Cima E Da Periferia Para O Centro – Andrey Cordeiro Ferreira & Tadeu Bernardes De Souza Toniatti

Definição De Anarquia – Errico Malatesta

Delineamentos De Política Libertária – Teotônio Simões

Do Princípio Federativo – Pierre-Joseph Proudhon

Elementos Para Uma Teoria Libertária Do Poder – Felipe Corrêa

Em Que Acredito – Emma Goldman

Estado? Não, Obrigado – Marcello Mazzilli

História Da Anarquia: Das Origens Ao Anarco-Comunismo – Max Nettlau

História Do Movimento Anarquista No Brasil – Edgar Rodrigues

Kronstadt – Alexander Berkman & Emma Goldman

La Evolucion De La Libertad – Daniel C. Dennett

La Voluntad Del Pueblo – Eduardo Colombo

Leituras Libertárias – Lúcia Silva Parra

Libertando-se – Jared James

Midia: Propaganda Política E Manipulação – Noam Chomsky

O Anarquismo E A História – Margareth Rago

O Anarquismo: Promesas De Liberdade – Luiz Pilla Vares

O Conceito De Liberdade – Mikhail Bakunin

O Indivíduo Na Sociedade – Emma Goldman

O Que É Anarquismo – Nicolas Walter

O Voto E O Sufrágio Universal – Eduardo Colombo

Por Que Os Anarquistas Não Aceitam A Ação Político-Eleitoral – Edgard Leuenroth

Porque Sou Anarquista – Rudolf Rocker

Por Que Anarquistas Não Votam? – Élisée Reclus

Sem Bandeiras – Teotônio Simões

Sobre A Política De Aliancas – José Antonio Gutiérrez Danton

Socialismo Sem Estado: Anarquismo – Mikhail Bakunin

Sonhar Também Muda O Mundo – Edilene Toledo

Teoria Da Organização Política Anarquista – Federação Anarquista Gaúcha

Um Homem Vale Um Homem – Carlos Augusto Addor

Vozes Libertárias Em Tempos Sombrios – João Henrique De Castro de Oliveira

 

Caneca Há Um Túnel Com Luz No Final | Branca

Deixe uma resposta