Mortimer J. Adler – A Arte De Ler

Posted on Leave a commentPosted in Educação, Letras, Literatura

A Arte De Ler – Publicado originalmente em 1940, tornou-se um fenômeno raro, um clássico vivo. Trata-se do melhor e mais bem-sucedido guia de compreensão de leitura para o leitor comum. A Arte De Ler aborda os vários níveis de leitura e mostra como atingi-los – da leitura elementar à leitura rápida, passando pelo folheio sistemático e pela leitura inspecional. (mais…)

Cleomar Pinheiro Sotta – Das Letras Às Telas

Posted on Leave a commentPosted in Cinema, Letras, Literatura

Das Letras Às Telas: A Tradução Intersemiótica De Ensaio Sobre A Cegueira – Este estudo crítico apresenta uma leitura comparada entre o romance Ensaio Sobre A Cegueira (1995), do escritor português José Saramago, e sua adaptação cinematográfica, Blindness (2008), dirigida pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles.
A narrativa de Saramago, tomada como ponto de partida, é analisada à luz das categorias de imagens estabelecidas por Northrop Frye: demoníacas, apocalípticas e analógicas. (mais…)

Talita Annunciato Rodrigues – Confinamento E Vastidão

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Confinamento E Vastidão: A Representação Feminina E A Subversão Em The Magic Toyshop – A pesquisadora Talita Annunciato Rodrigues efetua neste livro uma delicada análise do romance The Magic Toyship, escrito pela inglesa Angela Carter em 1967. Ela mostra como a construção das personagens, da ambientação e até da forma narrativa exteriorizam uma postura crítica da autora ao modelo de sociedade patriarcal. (mais…)

Francisco Ivan & Samuel Lima (Orgs.) – Saberes E Sabores Do Barroco

Posted on Leave a commentPosted in Artes, Cinema, Letras, Literatura

Saberes E Sabores Do Barroco – Na primeira cena da peça “La vida es sueño”, de Pedro Calderón de la Barca, a personagem Rosaura questiona: “Hipogrifo violento, que corriste parejas con el viento, ¿dónde, rayo sin llama, pájaro sin matiz, pez sin escama, y bruto sin estinto natural, al confuso laberinto de esas desnudas peñas te desbocas, te arrastra y despenãs?”.
É com esse questionamento que apresentamos ao leitor estas páginas de leitura diletante sobre arte, cinema e literatura. Leitura do Barroco. (mais…)

Flavio Benites & Marta Cocco (Orgs.) – A Língua Nossa De Todo Dia

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Linguística

A Língua Nossa De Todo Dia – Os textos que compõem este livro resultam de pesquisas realizadas na área da Linguagem e das Ciências Humanas e, portanto,trazem reflexões que apontam para a pluralidade de perspectivas científicas. Algumas dessas reflexões foram apresentadas no IV Colóquio Internacional de Letras, evento realizado, em setembro de 2014, pelo Curso de Letras do Campus de Tangará da Serra. Outras produções são de pesquisadores de Instituições parceiras com as quais mantemos uma interlocução em grupos de pesquisas. (mais…)

Simone Caputo Gomes & Outros (Orgs.) – Literatura Cabo-Verdiana

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Literatura Cabo-Verdiana: Leituras Universitárias reúnem 17 ensaios de pesquisadores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, em homenagem aos trinta e nove anos de investigação e trabalho de Simone Caputo Gomes com a literatura e a cultura de Cabo Verde, pioneiro na área.
Os artigos abordam autores e obras cabo-verdianos desde o século XIX até a atualidade e dão mostra da importância que os estudos acerca dessas literaturas vêm assumindo nas últimas décadas. (mais…)

Neusa Inês Philippsen & Adriana Lins Precioso (Orgs.) – Ensino Da Gramática Em Uso E Literatura Infanto-Juvenil

Posted on Leave a commentPosted in Educação, Gramática, Letras, Literatura, Literatura Infantojuvenil

A coletânea Ensino Da Gramática Em Uso E Literatura Infanto-Juvenil: Diálogos Contemporâneos é fruto do trabalho desenvolvido durante as disciplinas Gramática, Variação e Ensino e Literatura Infantil e Juvenil do Mestrado em Letras (PROFLETRAS, UNEMAT, Sinop).
Os artigos que compõem esta coletânea são de cunho didático-científico-reflexivo e foram dispostos em forma de propostas de sequências didáticas, concebidas individualmente pelos discentes-professores, cada um na escola em que trabalha. (mais…)

Maria Celeste Tommasello Ramos (Org.) – Olhares Sobre Ítalo Svevo E Outros Autores Italianos Do Século XX

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Olhares Sobre Ítalo Svevo E Outros Autores Italianos Do Século XX – No Brasil, apesar de existir um número muito grande de descendentes de italianos, na região noroeste do estado de São Paulo, por exemplo, cerca de 25% da população é de origem italiana, bem pouco da Literatura italiana é conhecida e difundida, poucos nomes circulam pelo panorama cultural.
Assim, os objetivos da publicação da presente obra, que reúne ensaios sobre autores italianos e algumas de suas obras produzidas durante o século XX (chamado de novecento) são divulgar os autores e obras estudados ao mesmo tempo que são divulgados os estudos literários realizados por um grupo de pesquisadores de Literatura Italiana reunidos no Grupo de Pesquisa “Literatura Italiana e outras Artes”, que congrega membros da USP de São Paulo, além das UNESPs de Assis e Araraquara e da UNEMAT, em Sinop – MT, tendo sede na UNESP de São José do Rio Preto – SP. (mais…)

Adriana Lins Precioso & Outros (Orgs.) – Estudos De Literatura

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Estudos De Literatura: Diálogos, Perspectivas E Tendências – O saber insubstituível das singularidades da natureza humana proposto por Compagnon vindo do próprio da literatura, ou seja, de sua essência de relações que engloba um conjunto de perspectivas, ora tão globais ora tão específicas, tem sido o ponto de partida da discussão do Grupo de Pesquisa Estudos comparativos de literatura: tendências identitárias, diálogos regionais e vias discursivas (CNPq), do curso de Letras – UNEMAT, Campus de Sinop-MT.
As particularidades do texto literário e suas diferentes formas de abordagem analítica tem levado o grupo a dialogar com outros grupos, a pesquisar teorias clássicas e contemporâneas e, sobretudo, dar visibilidade para a literatura produzida em Mato Grosso.
Antes de Compagnon, Antonio Candido já anunciava que “o texto literário deve ser visto como resultado de uma experiência humana”. (mais…)

Maria Celeste Tommasello Ramos & Outros (Orgs.) – Considerações Sobre O Herói Em Obras Da Literatura Italiana E De Outras Literaturas

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Considerações Sobre O Herói Em Obras Da Literatura Italiana E De Outras Literaturas – A figura do herói, geralmente concebida como representação de um semideus, meio homem, meio humano, sempre foi importante para a vida em sociedade, arcaica ou moderna.
Desde os primórdios da civilização ocidental, por exemplo, modelos de comportamento humano foram cunhados na figura do grego Odisseu, ou Ulisses para os romanos, que foi imortalizado pela escrita da Odisseia, atribuída ao poeta grego Homero.
A Literatura Italiana voltou muitas vezes a esse modelo cunhado pelos gregos, não sempre para confirmá-lo, mas muitas vezes para confrontá-lo, para questioná-lo. (mais…)

Francisco Edi De Oliveira Sousa – Uma Leitura De Canções Sem Metro

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura, Poesia

Que outros se jactem das páginas que escreveram; a mim me orgulham as que li.
(Borges – Elogio da sombra, “Um leitor”).
Vindas de alguém reconhecido por seus escritos, as palavras da epígrafe podem parecer estranhas… talvez porque muitas vezes esqueçamos que um escritor é antes um leitor.
Além de a leitura ser um passo inicial da escritura, de certo modo o ato de escrever se confunde com o de ler, e o ato de ler se confunde com o de reescrever. Poderíamos até imaginar autor, texto e leitor amalgamados no ato da leitura, pois aqueles de fato nascem ante os olhos deste. (mais…)

Roberto Pontes – O Jogo De Duplos Na Poesia De Sá-Carneiro

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Poesia

O jogo de duplos na poesia de Mário de Sá-Carneiro, aqui estudado, teve pesquisa preparatória iniciada pelos idos de 1989, muito antes de ser eleito tema deste livro.
Até então a obra de Mário de Sá-Carneiro, autor que foi mola propulsora da revista Orpheu e nome emblemático do primeiro Modernismo português, mereceu poucas, mas importantes leituras iniciais, como as de Maria Aliete Galhoz e Dieter Woll, por exemplo, que, mesmo assim, não foram suficientes para apressar o reconhecimento literário do autor de Dispersão.
Fazendo uma predição para si mesmo, como repetidas vezes deixa transparecer nos versos por ele escritos, o próprio autor preconizou que a obra deixada só seria compreendida vinte anos após sua morte e, realmente, apenas decorrido esse prazo, a fortuna crítica que lhe diz respeito tornou-se mais rica. (mais…)

Cid Ottoni Bylaardt – O Império Da Escritura

Posted on Leave a commentPosted in Artes, Filosofia, Letras, Literatura, Poesia

O Império Da Escritura é composto de doze ensaios que foram publicados em periódicos especializados ou que foram apresentados em congressos ou outros eventos ligados à literatura.
Os quatro primeiros estão ligados ao pensamento de Maurice Blanchot, nome de pouca penetração na academia, pela singularidade de sua poética, pela inaplicabilidade de suas teorizações. Não obstante, é um pensamento de profundidade, que não busca soluções fáceis, que não acomoda posições, que não transige em sua radicalidade, não concilia posições.
Para ele, a arte e a literatura não podem produzir respostas, porque não se subordinam à compreensão dominadora, e não podem se submeter porque não podem ter seus domínios delimitados, não podem produzir ações no espaço humano. (mais…)

Eva Cristina De Carvalho Souza Mendes & Decio Brunoni – Competência Em Leitura

Posted on Leave a commentPosted in Educação, Letras, Literatura, Psicologia

Os resultados insatisfatórios do desempenho escolar e da aprendizagem da leitura, além das questões sobre o nível de aprendizado das crianças e possíveis fatores intervenientes, têm trazido inquietação a pesquisadores de várias áreas do conhecimento.
O desempenho dos estudantes brasileiros, aferido por meio dos exames de avaliação do Ministério da Educação (MEC), demonstra que a aprendizagem dos alunos ainda está abaixo dos padrões adequados. Esse baixo desempenho possui várias causas internas e externas à escola.
O desempenho para leitura exige que os alunos escrevam com correspondência sonora alfabética e produzam textos com algumas características da linguagem escrita, de acordo com o gênero proposto. Além disso, devem ser capazes de localizar, na leitura, informações explícitas contidas no texto informativo.
Essas seriam as competências esperadas para alunos na fase inicial de aquisição da leitura e da escrita, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). (mais…)

Andréa Pereira Moraes – Estética E Crítica Literária

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Letras, Literatura

Estética E Crítica Literária alcança dois grandes objetivos: lança um olhar sobre as questões teóricas centrais do jovem e do velho Lukács sobre a estética, e ainda, revela em alguns dos seus artigos a validade e a grandeza desse cabedal teórico na crítica literária.
O conhecimento da estética de Lukács, e o diálogo com algumas obras e reflexões de Marx ao redor dessa mesma temática, demonstra o quanto o materialismo histórico e dialético é uma base teórica e metodológica fundamental para se compreender a arte em suas mais variadas formas e conteúdos. (mais…)

Adriana Aparecida De Figueiredo Fiuza – Releituras Da História Franquista

Posted on Leave a commentPosted in História, Letras, Literatura

Em Releituras Da História Franquista, Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza investiga como se dá a releitura da história e a retomada da memória nos romances Galíndez e Autobiografía del general Franco, ambos publicados na década de 1990, de autoria do escritor catalão Manuel Vázquez Montalbán (1939-2003).
Em sua análise a autora enfatiza o estudo da metaficção e o papel de relevância dessas obras como modelo estético para outras narrativas que surgiriam posteriormente no campo da literatura espanhola, abordando os temas da memória, da ditadura e da Guerra Civil, que viabilizou a introdução do regime autoritário. (mais…)

Telma Maciel Da Silva – Posta-Restante

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

Posta-Restante analisa parte da correspondência do contista João Antônio (1937-1996), especificamente um conjunto de cartas trocadas entre o autor paulistano e o amigo e colaborador Jácomo Mandatto entre os anos de 1962 e 1995.
Nelas, a pesquisadora investiga a relação dos missivistas com o mercado editorial, bem como as estratégias utilizadas por eles para ampliar a venda dos livros. Além disso, as cartas demonstram a importância dada pelos correspondentes ao trabalho dos críticos de literatura.
A discussão sobre a linguagem empregada por João Antônio nesta correspondência também faz parte da análise. A tese central é a de que as cartas do escritor mantêm um diálogo constante com sua obra, seja do ponto de vista do tema, seja do ponto de vista formal, uma vez que há coincidências no que concerne ao trato com a linguagem. (mais…)

Márcio Matiassi Cantarin – Por Uma Nova Arrumação Do Mundo

Posted on Leave a commentPosted in Letras, Literatura

A ecosofia, termo criado pelo filósofo francês Félix Guattari, baseia-se em uma articulação ético-política entre três campos ecológicos – do meio ambiente, das relações sociais e da subjetividade humana.
Para Guatarri o homem moderno só poderá resolver seus impasses por meio da ecosofia, conceito que pressupõe uma nova maneira de ser e estar no mundo, a qual implica na reinvenção dos modos de vida, da sensibilidade, da inteligência, e exclua as relações de poder.
Partindo desse conceito, o professor de Literatura Márcio Matiassi Cantarin aprofunda-se na obra do escritor moçambicano Mia Couto. (mais…)

Paulo Silveira – A Página Violada

Posted on Leave a commentPosted in Artes, Letras, Literatura

Feche os olhos e imagine um livro.
O livro imaginado é provavelmente o esperado: capa, páginas brancas com texto em preto e uma boa lombada. Possivelmente você o imagine aberto.
E se a primeira página desse livro fosse a última, com ele começando pelo fim? Uma página, digamos, -320? E depois uma -319, -318 e assim por diante? Isso nunca (ou quase nunca) acontece. Isso pode ser considerado uma violação tanto das práticas do bom senso (ou do consenso) como das normas escritas.
É uma violação da ordem. Um livro com o menor grau de violação já causa estranhamento, para qualquer público. Essa é a premissa do livro de artista contemporâneo, como o equilíbrio o foi dos seus antecessores. (mais…)