José Ortega Y Gasset – A Rebelião Das Massas

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia

A Rebelião Das Massas é um ensaio filosófico brilhante, um dos livros mais importantes do século XX. A esta altura, 85 anos depois do seu lançamento, A Rebelião Das Massas já foi reeditado e traduzido inúmeras vezes e para dezenas de línguas.
O autor coloca em questão os conceitos de homem-massa, razão histórica e governo mundial. Para o público brasileiro, o ensaio de Ortega y Gasset, acidentalmente político, mas essencialmente filosófico, talvez tenha mais a dizer hoje do que em qualquer outro período da história nacional. (mais…)

G. W. F. Hegel – Princípios Da Filosofia Do Direito

Posted on Leave a commentPosted in Direito, Filosofia

Princípios Da Filosofia Do Direito saiu em Berlim em 1918. Trata-se do desenvolvimento de uma seção da Enciclopédia das ciências filosóficas publicada no ano anterior e onde Hegel expõe de maneira dogmática esse pensamento, agora já tendo atingido sua forma definitiva. O que Hegel chama de Direito não é o direito abstrato, que nos vem dos romanos, nem o direito natural. ´É a existência da vontade livre´; é a ´liberdade consciente de si´, o direito da pessoa, por exemplo, é apenas um momento no devir desta liberdade. No sentido hegeliano, podemos ainda situar o direito na história do espírito. (mais…)

Martinho Lutero – Nascido Escravo

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Religião

Nascido Escravo – Lutero considerou a doutrina da escravidão da vontade como a pedra angular do evangelho e o verdadeiro alicerce da fé cristã. Em Nascido Escravo, um resumo de sua obra suma, A Escravidão da Vontade, temos uma refutação clara e definitiva dos argumentos em favor do livre-arbítrio apresentados por Erasmo em sua defesa da posição humanista da Igreja Católica Romana. Na luz dos argumentos bíblicos expostos por Lutero, um exame honesto do evangelho apresentado em nossos dias, mostra tragicamente que a posição da maioria dos evangélicos está mais voltada para o humanismo de Erasmo do que para a posição bíblica do reformador. (mais…)

José Ortega Y Gasset – O Homem E A Gente

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia

O Homem E A Gente – Trata-se da grande obra de “Sociologia Filosófica” do autor, em cuja classificação não se deve interpretar a palavra “filosófica” como mero adjetivo que designa uma qualidade especial agregada à sociologia. O Homem E A Gente é sociologia, mas também filosofia em igual ou maior grau. Mais ainda: o autor demonstra com essa obra que não se pode fazer sociologia senão mediante a filosofia. (mais…)

Karl Marx – Sobre O Suicídio

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia, Psicologia

Sobre O Suicídio é uma peça “insólita” em meio aos seus trabalhos, como coloca Michael Löwy em ensaio que acompanha o livro. É um Marx que trata da esfera da vida privada, das angústias da existência mediada pela propriedade e pelas relações de classe, e que antecipa temas como o direito ao aborto, o feminismo e a opressão familiar na sociedade capitalista. (mais…)

Pablo Simpson – Rastro, Hesitação E Memória

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Poesia

Rastro, Hesitação E Memória: O Tempo Na Poesia De Yves Bonnefoy – Rastro, hesitação e memória. São estas noções de grande alcance para o estudo da literatura em geral e, em particular, para a poesia do século XX. Com elas, Pablo Simpson nos apresenta o primeiro estudo monográfico no Brasil dedicado ao poeta francês Yves Bonnefoy (1923-2016). Trata-se de um busca pelas diversas figurações do tempo numa poesia em que estatuto do tempo é o lugar de sua legitimação e de verdade. Tal busca é o que permite ao autor relacionar, igualmente, uma reflexão sobre o tempo com um conjunto de obras literárias que são convocadas e analisadas ao longo do estudo, como as de Baudelaire, Marcel Proust, Pierre Jean Jouve e Philippe Jaccottet. (mais…)

João Paulo Bastos Da Silva – Leituras Sobre As Contribuições De John Dewey Na Filosofia E Pedagogia

Posted on Leave a commentPosted in Educação, Filosofia, Pedagogia

Leituras Sobre As Contribuições De John Dewey Na Filosofia E Pedagogia – Para John Dewey, a educação, a filosofia e a ordem social constituem um todo indissociável na vida e na relação do indivíduo com a democracia que é a própria experiência educacional, onde o indivíduo recebe e transmite a socialização de interação adquirida no meio social. Dewey contribuiu imensamente na área da filosofia da educação e na pedagogia.
Foi um filósofo que defendeu a educação como o processo de reconstrução da experiência entre os indivíduos participantes da democracia que para ele era o processo da experiência educacional. (mais…)

Ralph Waldo Emerson – Poesia E Imaginação

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Poesia

Poesia E Imaginação é um ensaio de Ralph Waldo Emerson. Trata-se de um texto rico, dotado de filosofia, poesia e aprendizado.
O Autor nos apresenta textos preciosos de autores como: Goethe, Keats, Lord Byron, Platão, Shakespeare, entre outros poetas e romancistas clássicos.
Em uma abordagem que envolve a filosofia e aspectos literários, Poesia E Imaginação é um texto repleto de sabedoria que te levará a um maior entendimento sobre a literatura clássica e seus principais expoentes. (mais…)

Nick Bostrom – Superinteligência: Caminhos, Perigos, Estratégias

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Neurologia, Psicologia

Superinteligência: Caminhos, Perigos, Estratégias – O cérebro humano possui algumas aptidões ausentes nos cérebros dos demais seres vivos. Nossa posição dominante no planeta se deve a estas particulares habilidades. Outros animais possuem músculos mais robustos ou mandíbulas mais afiadas, mas nós temos cérebros mais sofisticados.
Se algum dia os cérebros artificiais superarem a inteligência dos cérebros humanos, então esta nova superinteligência pode se tornar muito poderosa. Assim com o destino dos gorilas hoje depende mais dos humanos do que dos próprios símios, o destino da nossa espécie também se tornaria dependente das ações destas máquinas superinteligentes. (mais…)

Michel Henry – As Ciências E A Ética

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

As Ciências E A Ética – Vou procurar não tratar este imenso assunto mas submeter a debate uma tese que pode, numa primeira abordagem, parecer negativa, e que diz que ciência e ética constituem dois domínios profundamente diferentes.
Provavelmente nem sempre foi assim. Penso que o saber e a ação formaram uma unidade harmoniosa durante muito tempo, mas que essa unidade foi rompida na aurora da modernidade, no momento em que Galileu cumpre o ato proto-fundador da ciência moderna e de uma nova era da qual somos, conscientes ou não, herdeiros, na medida em que partilhamos largamente os seus credos. (mais…)

José Eli Da Veiga – Amor À Ciência

Posted on Leave a commentPosted in Biologia, Ciências, Ciências Sociais, Filosofia, Psicologia

Amor À Ciência: Ensaios Sobre O Materialismo Darwiniano – A ideia central do livro é que não pode haver materialismo científico que não seja, antes de tudo, darwiniano. Para justificar tal afirmação, a obra apresenta uma visão panorâmica da crescente utilidade cognitiva da estrutura conceitual darwiniana em ciências tão diversas quanto a psicologia e a física quântica, passando por quase todas as ciências sociais. (mais…)

Hannah Arendt – Da Violência

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Direito, Filosofia

Da Violência, escrita entre 1968 e 1969, trata de uma investigação acerca da “natureza e das causas da violência”. Tal discussão se estrutura em três partes. A autora parte da descrição e discussão dos acontecimentos políticos imediatos, colocando-nos o sistema de guerra e violência a que estamos submetidos. Para a autora, a guerra é o sistema social básico, dentro do qual outros tipos de organização social conflitam ou conspiram. Superpopulação, por exemplo, para a autora, redunda em agressividade e violência. (mais…)

Augusto Bruno De Carvalho Dias Leite – História E Tradução Em Walter Benjamin

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, História

História E Tradução Em Walter Benjamin – O seguinte trabalho pretende tratar do conhecimento em geral e se deter na análise de um conhecimento específico, o histórico. Para tanto, a pesquisa se desdobra discutindo a obra do pensador judeo-alemão Walter Benjamin. O conhecimento em geral, segundo Walter Benjamin, seria fruto de uma experiência estética; estética, porque nos sentidos humanos residiria a origem de qualquer experiência e ela geraria conhecimento porque os objetos, de acordo com o autor, dialogam com o sujeito, assim como o sujeito dialoga com os objetos, sendo a linguagem o seu meio de comunicação. (mais…)

Hannah Arendt – A Condição Humana

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia

A Condição Humana – Ao começar sua obra, A Condição Humana, Hannah Arendt alerta: condição humana não é a mesma coisa que natureza humana. A condição humana diz respeito às formas de vida que o homem impõe a si mesmo para sobreviver. São condições que tendem a suprir a existência do homem. As condições variam de acordo com o lugar e o momento histórico do qual o homem é parte. Nesse sentido todos os homens são condicionados, até mesmo aqueles que condicionam o comportamento de outros tornam-se condicionados pelo próprio movimento de condicionar. (mais…)

Roger Scruton – Beleza

Posted on Leave a commentPosted in Artes, Filosofia

Numa obra instigante, Roger Scruton nos convida a refletir a respeito da beleza e do lugar que esta ocupa em nossas vidas. Como deixa bem claro, sua abordagem não é histórica nem psicológica: é filosófica. Assim, nos conduz por questionamentos como: a beleza é subjetiva? Existem critérios válidos para julgar uma obra de arte? Há algum fundamento racional para o gosto? Qual a relação entre tradição, técnica e gosto? Pode o belo ser imoral? (mais…)

Jean-Paul Sartre – O Imaginário

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia, Literatura, Psicologia

O Imaginário – No cruzamento de disciplinas – psicanálise, literatura, antropologia cultural, sociologia dos meios de comunicação de massa -, este livro propõe uma análise filosófica do que nos separa do imediato, exorta-nos ao lúdico, permite-nos pensar quando o saber é insuficiente, e oferece-nos um horizonte – o imaginário.
Num ensaio marcado pela influência de Husserl, Sartre desenvolve alguns dos temas centrais de sua filosofia, como a ideia de que a imaginação se liga intimamente à noção de consciência e de liberdade individual. (mais…)

Adna Candido De Paula & Suzi Frankl Sperber (Orgs.) – Teoria Literária E Hermenêutica Ricoeuriana

Posted on Leave a commentPosted in Filosofia, Letras, Literatura

Teoria Literária E Hermenêutica Ricoeuriana: Um Diálogo Possível – A exemplo do que acontece num panorama mais amplo, a teoria literária sempre dialogou com a filosofia em busca de possíveis caminhos teóricos para as análises de seu “corpus”. Tendo em vista essa constatação, este projeto pretende explorar as contribuições que a concepção da hermenêutica, tal como desenvolvida pelo filósofo francês Paul Ricoeur, pode oferecer para uma leitura critica de textos literários. (mais…)

Mircea Eliade – O Sagrado E O Profano

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Filosofia, História, Psicologia, Religião

O Sagrado E O Profano – Este ensaio foi escrito para a coleção de livros de bolso que constituíam a Enciclopédia Alemã Rowohlt. Isso significa que se trata de uma obra concebida e redigida para o grande público, como uma introdução geral ao estudo fenomenológico e histórico dos fatos religiosos. O autor estuda a situação do homem em um mundo saturado de valores religiosos. É uma introdução à história das religiões, um balanço dos nossos conhecimentos nesse campo. (mais…)

Sandra Caponi – Da Compaixão À Solidariedade

Posted on Leave a commentPosted in Enfermagem, Filosofia, Medicina, Psicologia, Saúde

Da Compaixão À Solidariedade: Uma Genealogia Da Assistência Médica – A autora apresenta uma análise que vai da lógica da compaixão à lógica utilitarista, modalidades diferenciadas de intervenção sobre a saúde das pessoas e coletividades no século XIX e que, apesar de aparentemente antagônicas, estão mais próximas do que se possa imaginar. Analisa as motivações éticas a partir das quais se legitimaram diversas modalidades de assistência médica aos necessitados. (mais…)