Alessandra Ximenes Da Silva & Outras (Orgs.) – Contrarreforma, Intelectuais E Serviço Social: As Inflexões Na Política De Saúde
É no processo de construção do projeto ético-político do Serviço Social brasileiro que assistentes sociais vão empreender uma releitura histórica de sua profissão e refinar sua concepção acerca das políticas públicas, reconhecendo o caráter estratégico destas, ainda que tragam também uma série de contradições.
Por isso, ainda que como categoria organizada, o Serviço Social pouco tenha participado das origens do movimento sanitário, será a profissão desde a virada dos anos 1980 e 1990, uma defensora não só do SUS, mas também do projeto de Reforma Sanitária.
Assim, o Serviço Social brasileiro, seja por meio de sua organização política – a exemplo do Conjunto CFESS-CRESS (Conselho Federal e Regionais de Serviço Social) e da ABEPSS (Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social) como pela via da produção do conhecimento, disseminado pelos diferentes Departamentos de Serviço Social e seus programas de Pós-graduação, vem adensando a luta e o conhecimento sobre a saúde.
Essas duas ações são coletivas e não apenas de uma corporação, por isso merece destaque a participação do Serviço Social brasileiro na Frente Nacional contra a Privatização da Saúde, que também reunindo fóruns estaduais e regionais, vem se posicionando contra os descontornos do SUS, defendendo sua proposição original e entendido como um projeto da Reforma Sanitária Brasileira.
O livro que temos em mãos é composto por sujeitos que no cotidiano do ensino, da pesquisa e da extensão reafirmam a importância de uma Universidade pública, gratuita, laica e socialmente referenciada, que constroem o projeto ético-político do Serviço Social, o projeto da Reforma Sanitária e a Frente Nacional contra a Privatização da Saúde.
Os artigos reunidos no livro são frutos de pesquisas realizadas com rigor ético, teórico, metodológico e compromisso político. As análises que seus autores desenvolvem desvelam a política de saúde na atualidade, tanto na esfera nacional como também, ao tomarem como campo empírico a região onde a Universidade Estadual da Paraíba está enraizada, nos trazem ilações para a partir do singular, encontrarmos os determinantes da política nacional de saúde.
Assim, o livro como um todo trata-se de uma contribuição fundamental para quem quer entender os motivos dos desvirtuamentos do direito à saúde na atualidade como também instrumentalizam para ação, política e acadêmica, de construção e ou adensamento de argumentos na defesa do projeto de Reforma Sanitária Brasileira.

 

Camisa Guarda-Chuva

Deixe uma resposta