Alessandra Del Ré discute nesta obra a importância de se desenvolver um trabalho com o humor na escola, a partir da constatação de que crianças pequenas, de 3 a 5 anos de idade, têm no humor um elemento importante no processo de aquisição da linguagem.
Partindo da hipótese de Garitte e Legrande, de que as crianças que fazem uso do humor têm melhores competências sociais, Del Ré critica a imposição sem nuances, pela escola, de padrões de linguagem, à medida que as crianças crescem. Tal imposição – necessariamente acrítica – minaria aos poucos a capacidade de produção linguística criativa e natural das crianças até seu desaparecimento, para prejuízo de futuras conceituações e efabulações oriundas do Imaginário.
O trabalho defende que impor à criança cedo demais padrões transmitidos como sérios e indiscutíveis é como colocar uma venda em seus olhos e privá-la de se tornar mais ativa e principalmente mais criativa, capaz de manipular e reutilizar o humor cotidiano – algo que a escola deveria estimular, e não coibir.

O site pede cadastro. É fácil, rápido e vale a pena.

Deixe uma resposta