capa-arte-e-natureza

O assim chamado argumento, ou princípio, do “conhecimento do criador”, em sua versão em língua inglesa, maker’s knowledge, é um dos temas mais importantes na discussão sobre a formação do pensamento moderno. Contudo, esse tema não tem, com raras exceções, recebido a devida atenção dos especialistas, filósofos, epistemólogos, historiadores das ideias. Menos do que um argumento, trata-se na verdade de um pressuposto básico na discussão desde o Renascimento, sobre a possibilidade do conhecimento científico, sobretudo em sua relação com o conhecimento técnico, entendido em um sentido amplo, desde as artes até a engenharia, passando pela vida política. Isso revela como nesse contexto, em contraste com o mundo clássico, o pensamento passa por uma virada profunda. Essa virada altera radicalmente o modo de entendermos a relação entre natureza e produção humana, entre o natural e o artificial. É no quadro dessa problemática fascinante e pouco explorada, subjacente a autores os mais inesperados, de Fílon de Alexandria a Nietzsche, de Nicolau de Cusa a Immanuel Kant. Este trabalho que felizmente agora pôde ser publicado após alguns anos torna acessível ao público leitor, interessado nessas questões de filosofia e história das ideias, o pensamento de Adriana Ítalo. Pensamento vivo, mesmo se sua autora já não o está mais. Podemos reconhecer sua vivacidade, seu espírito crítico e inovador, sua facilidade de escrita em cada linha, em cada formulação de argumentos, em cada ideia inesperada.

pdf

Deixe uma resposta