Adir Ubaldo Rech (Org.) – Construção Das Regiões Metropolitanas: Um Enfoque À Região Metropolitana Da Serra Gaúcha
Adir Ubaldo Rech, em Planejamento das regiões metropolitanas, coordena um conjunto de estudos indispensáveis sob o ponto de vista teórico e prático para organizar racionalmente a área urbana.
A vida urbana, à semelhança dos demais fatores sociais, tornou-se mais complexa e exige um planejamento que ultrapassa suas fronteiras.
Em vista disso, os capítulos referem-se à Região Metropolitana da Serra Gaúcha, servem para refletir sobre qualquer região metropolitana, além de orientarem ações específicas.
A vantagem de eleger uma região está na possibilidade de relacionar a visão teórica com a realidade. Assim, são examinados os enfoques legais, urbanísticos e socioambientais.
Esses aspectos básicos não podem ser ignorados por nenhum governo ou liderança comunitária. Desse modo, as definições gerais e esclarecedoras sobre as regiões metropolitanas no Brasil apresentam um interesse localizado e, ao mesmo tempo, uma motivação universal.
Uma parte considerável do estudo se detém nos fundamentos jurídicos necessários para nortear o planejamento, o zoneamento ambiental, o problema específico do consumo da água e as questões cada vez mais urgentes da mobilidade urbana e da sustentabilidade, todavia, sem ignorar outras dimensões fundamentais.
O estudo das grandes metrópoles torna-se cada dia mais urgente. Vivemos atualmente situações diferentes daquelas descritas por Fustel de Coulanges, em sua obra, A Cidade Antiga.
Nesses tempos de globalização, de crise dos conceitos de privado e público, das noções de fronteira e de região, do surgimento de metrópoles com novos contornos, agravam-se as necessidades de novas normas jurídicas relacionadas à vida urbana.
O planejamento metropolitano não pode ignorar especialmente as relações entre os problemas urbanos e os socioambientais. Analisar e investigar as situações são, absolutamente, necessários.
Deve-se ainda acrescentar que os novos padrões de cultura e de civilização são elementos essenciais do desenvolvimento urbano. Afinal, a cidade e a região abrangida por ela são o solo de toda habitação, isto é, a base de condições favoráveis de uma vida produtiva e feliz.
A vida urbana é algo emergente, em constante evolução, que deveria ser objeto de investigação das disciplinas principais de nossos cursos formais. A cidade não é apenas um conjunto de partes, mas uma totalidade, uma síntese da vida contemporânea.

 

Camisa Casa De Livros

Deixe uma resposta