Pierre Grimal – Marco Aurélio: O Imperador Filósofo

Posted on Posted in Ciências Sociais, Filosofia, História

Marco Aurélio: O Imperador Filósofo – Ao nome de Marco Aurélio (Marcus Aurelius Antoninus Augustus) está indissociavelmente ligado o epíteto de “filósofo”, e isto desde a Antiguidade. A biografia que lhe é consagrada na coletânea da História Augusta e que, provavelmente foi escrita no fim do século IV da nossa era, no reinado de Teodósio, prontamente confere a ele esse título.
Especialista em Roma antiga e apaixonado por sua civilização, o historiador francês Pierre Grimal nos oferece o retrato completo de um dos personagens mais emblemáticos da Antiguidade: Marco Aurélio, o “imperador filósofo”.
Nascido em 121 d.C., Marco Aurélio governou de 161 até sua morte, em 180, sendo um dos principais protagonistas da expansão militar romana.
Para tratar da educação, das obras filosóficas e da carreira política deste que elege como o maior dos Césares, Grimal reconstrói com maestria o contexto histórico e cultural do Império Romano, analisando a influência que a formação estóica do imperador teve em seu trabalho político, em sua vida e em suas esplêndidas Meditações. E, com isso, cria um quadro minucioso de um homem que foi, ao mesmo tempo, governante, filósofo, guerreiro e legislador.
Obrigatório para historiadores, filósofos e estudantes do pensamento político, Marco Aurélio é leitura essencial para qualquer pessoa que deseje refletir sobre questões sempre atuais como as relações entre ética, poder e prática política ou os deveres éticos do governante.
Nesta que pode ser considerada sua biografia definitiva, o grande historiador francês Pierre Grimal explica por que Marco Aurélio foi o maior dos imperadores – o mais humano, o mais sábio, o mais justo. Conhecido como o imperador-filósofo, ele uniu os talentos de líder qualificado aos de político hábil, guerreiro, estrategista militar e administrador atencioso, capaz de gerenciar com firmeza e sabedoria um gigantesco aparelho de Estado.
No entanto, esse poder imenso se refletia em uma solidão de tamanho equivalente, o que é ressaltado em suas lendárias Meditações, as formidáveis reflexões que Marco Aurélio escreveu para si mesmo inspiradas pelo estoicismo, elemento central em sua formação.

Camisa Bicicleta

Deixe uma resposta