João Ubaldo Ribeiro – Miséria E Grandeza Do Amor De Benedita

Posted on Posted in Literatura, Literatura Brasileira

Miséria E Grandeza Do Amor De Benedita é um romance do escritor brasileiro João Ubaldo Ribeiro. Editado em 2000, foi o primeiro e-book lançado no país e permaneceu durante cinco meses disponível apenas em formato eletrônico, atualmente já se encontra também como livro.
Miséria E Grandeza Do Amor De Benedita narra a história de Deoquinha Jegue Ruço, a versão nordestina de um Don Juan, casado com a ingênua Benedita, esposa exemplar e compreensiva que perdoa as escapadas do marido. A morte de Deoquinha dá partida à narrativa que reconstrói a trajetória desse conquistador, pai de vários filhos bastardos. Mas é a figura de Benedita que motiva toda a trama. O livro é marcado pelo extremo cuidado de Ubaldo em construir seus personagens.
O que é que se vê nesta ilha, que no um do não tem comparação? Nem uma vida, nem duas vidas, nem quatro vidas, nem dezoito vidas bastariam para se aprender tudo o que há na ilha. Sabe-se de gente que está nela faz mais de quarenta ou cinquenta encarnações e, a cada reencarnação, por mais bem vividas que tenham sido as anteriores, o encarnado pode até pensar que já compreende muita coisa, mas quando fica velho, vê que não compreende quase nada, precisa voltar sabe-se lá quantas vezes – Deus não tem pressa nenhuma, para Ele tudo é ontem, hoje e amanhã, só quem vive dentro do tempo somos nós.

João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro ComM (Itaparica, 23 de janeiro de 1941 — Rio de Janeiro, 18 de julho de 2014) foi um escritor, jornalista, cronista, roteirista e professor brasileiro, formado em direito e membro da Academia Brasileira de Letras. Foi ganhador do Prêmio Camões de 2008, maior premiação para autores de língua portuguesa. Ubaldo Ribeiro teve algumas obras adaptadas para a televisão e para o cinema, além de ter sido distinguido em outros países, como a Alemanha. É autor de romances como Sargento Getúlio, O Sorriso do Lagarto, A Casa dos Budas Ditosos, que causou polêmica e ficou proibido em alguns estabelecimentos, e Viva o Povo Brasileiro, tendo sido, esse último, destacado como samba-enredo pela escola de samba Império da Tijuca, no Carnaval de 1987.

Camisa Digitalizado

Deixe uma resposta