Janice Caron Nazareth & Outros (Orgs.) – Bioética E A Violência Contra A Mulher

Posted on Posted in Biologia, Ciências Sociais, Direito, Enfermagem, Medicina

Bioética E A Violência Contra A Mulher surgiu a partir de um seminário promovido pelo Cremesp, no qual diversos especialistas expuseram suas ideias sobre o tema. Os textos foram revisados e, em alguns casos, ampliados pelos autores. Entre outras, são focalizadas, em mais de 20 capítulos, questões como ‘Perfil da brasileira que sofre violência’; ‘Maioria das mulheres assassinadas morre pelas mãos do homem que ama’; ‘Delegacia da Mulher: acolhimento ou humilhação?’; e ‘O abuso sexual como conflito ético no Conselho Regional de Medicina de São Paulo’.
A publicação dos temas expostos e a ampliação com os outros textos adjuvantes procura desenvolver o tema e mantê-lo em permanente acesso por meio do livro.
É fato que tudo que diz respeito ao ser humano e a sua vocação como pessoa envolve a ética. A ética qualifica o ser humano. Em seu sentido mais profundo, ética é o modo de cada indivíduo viver na sociedade, a forma como interpreta a vida e dá respostas a ela. Vivendo, o indivíduo vai construindo sua própria dimensão ética: definindo e fortalecendo seus valores, desenhando seu caráter.
É a ética de um ser humano que determina seus atos, a coerência ou não entre eles, a forma como assume a responsabilidade sobre eles. Mas é a consciência desses atos e dos conflitos que vivencia ao tomar decisões, ao agir e assumir responsabilidades, que vai sendo construída sua ética.
Nessa senda é conhecida que a Bioética tornou-se espaço de reflexão ética e de diálogo entre as diversas especialidades do conhecimento científico examinado “à luz dos valores e dos princípios morais”.
A ampliação da dimensão social faz que a Bioética situe-se na interface de vários saberes, notadamente: a Biologia e Medicina, a Filosofia, Ética, Teologia, Psicologia, Antropologia, Economia, Sociologia e o Direito. O discurso a ser utilizado no campo da bioética não pode ser dogmático nem persuasivo, mas antes criativo e baseado num diálogo inter e transdisciplinar, pluralista, que deverá aprofundar as relações de raízes históricas, culturais e religiosas dos diferentes articuladores de posições.

Camisa “E Viva A Diferença!”

Deixe uma resposta