A Diversidade Étnico-Racial Em Escolas Privadas Confessionais – Em seu trabalho de pesquisa, a autora relaciona as discussões no âmbito da Igreja Católica sobre os direitos sociais (especialmente a educação), os preconceitos que limitam o acesso a esses direitos e as discussões sobre a condição do negro no Brasil.
Metodologicamente, articula com desenvoltura os referenciais utilizados, as discussões do campo sobre diversidade étnico-racial, multiculturalismo, ensino da História e Cultura Afro-Brasileira com a coleta de dados realizada por meio de questionário e entrevistas semiestruturadas, trabalhando, igualmente, com observação de campo e com análise de documentos obtidos nas escolas pesquisadas.
Define com clareza as categorias empregadas para analisar o tema, apresentando uma discussão ao mesmo tempo ampla e aprofundada sobre a Lei 10.639/03 e sua aplicação nas escolas estudadas, bem como um exercício reflexivo em torno do tema nas escolas confessionais de maneira geral, trazendo problematizações minuciosas sobre a Igreja Católica e suas proposições para o tratamento do assunto. Vale ressaltar que os sujeitos pesquisados são detalhadamente descritos, da mesma forma que escolas, sem, contudo, serem identificados.
A autora apresenta também uma descrição elogiável de todo o processo de pesquisa, mostrando, inclusive, as agruras e os contratempos ocorridos ao longo das coletas de dados nas escolas, as quais são descritas minuciosamente em seus espaços, projetos políticos pedagógicos, currículos, números de alunos e de profissionais.
Ela discute, com propriedade, os problemas encontrados ao pesquisar um tema que se refere à raça, aos negros e ao preconceito racial no ambiente escolar, mostrando que o simples pronunciamento verbal de palavras ligadas ao assunto é feito com
dificuldade e cuidado. Em suma, toda a descrição do seu processo de pesquisa serve de modelo a outros trabalhos que se preocupam em apresentar suas trajetórias analíticas.
A autora traz também em seu trabalho uma discussão sobre a educação, a escola e o currículo, estes dois últimos como lugares/espaços socio-culturais por excelência onde reverberam, são construídas e reconstruídas percepções e posturas de toda natureza. Com certeza, não são lugares/espaços neutros ou que pairam acima de nossas cabeças. A escola e o currículo (os Parâmetros Curriculares Nacionais e as Diretrizes Curriculares Nacionais são exemplos da sua dimensão oficial) expressam, igualmente, as limitações sociais.
Por meio tanto de um como do outro, a problemática étnico-racial está presente no ambiente educacional, como está também em toda a sociedade. No Brasil, essa problemática é legalmente constituída e materializada especialmente pela Lei 10.639/03, promovendo a discussão, o tratamento e, esperamos, a superação das desigualdades para o convívio com as diferenças.

Faça uma doação para a Biblioteca Livr’Andante

e ganhe esta camisa ou escolha outros dos

nossos brindes.

Deixe uma resposta