William Outhwaite – Teoria Social

Posted on Posted in Ciências Sociais

Por que a religião é poderosa? De onde vem o capitalismo? Por que a sociedade é possível? A teoria social é uma ciência que formula e investiga grandes questões. Ferramenta inestimável, revela como diferentes disciplinas se associam e de que forma podemos usá-las para melhor compreender o mundo em que vivemos.
Nesse livro breve, porém claro e abrangente, o renomado sociólogo inglês William Outhwaite nos leva a uma viagem através dos principais pensadores e tópicos que interessam à teoria social – de Rousseau e Marx a Weber e Durkheim; da Escola de Frankfurt, representada por Marcuse, Adorno e Horkheimer, a Bourdieu, Freud e Anthony Giddens.
Ao percorrer ideias essenciais do pensamento ocidental, Outhwaite discute ainda o papel da teoria social hoje. Para onde vai essa disciplina vital e como seus vastos horizontes nos ajudarão a enfrentar o desafio do século XXI?

Se você está interessado em questões políticas ou econômicas, ou sobre cultura, relações de gênero ou étnicas, a teoria social explica as relações entre elas. Talvez você goste de pensar nisso como “está tudo aí”.
Tomemos a globalização, que transformou nosso mundo e tem sido um importante tema de discussão acadêmica e pública desde os anos 1990. As primeiras explicações enfatizavam os aspectos econômicos e as implicações políticas para Estados-nação, mas os sociólogos logo ressaltaram que a globalização da cultura era igualmente importante e, de maneira crucial, inter-relacionada com as outras dimensões.
É possível escrever um livro sobre a globalização da produção, do comércio ou dos mercados financeiros, porém, se formos focalizar o mundo como um todo, como as teorias da globalização pretendiam fazer, não há sentido em fragmentá-lo em domínios econômico, político e cultural separados e tratá-los isoladamente.
Em primeiro lugar, o que dois teóricos sociais em meados do século XX chamaram de “indústria da cultura” é exatamente isso: uma indústria cada vez mais global, empregando milhões de pessoas. Se o consumo cultural é uma questão de gosto, é também uma questão de dinheiro e de política (“soft power”, ou influência). Entre as causas do colapso do comunismo na Europa no fim dos anos 1980 estava a influência do rock ocidental e local e de movimentos relacionados ao punk.

   

Deixe uma resposta