Cláudio Cesar De Paiva (Org.) – Universidade E Sociedade

Posted on Posted in Educação

A universidade pública brasileira tem por objetivo buscar a excelência no desempenho de três grandes norteadores: o ensino, a pesquisa e a extensão.
Longe de serem atividades estanques, essas tarefas possuem uma relação intrínseca. Para que o ensino oferecido pelas universidades públicas brasileiras, na graduação e na pós-graduação, seja inovador, arrojado e de alta qualidade, é impossível dissociar sua prática da pesquisa que o alimenta e que por ele é alimentada.
Contrariamente à ideia de que o pesquisador é um sujeito isolado, fechado em si mesmo, voltado para a construção de teorias abstratas ou preocupado em aprimorar as já existentes, os trabalhos de investigação que se desenvolvem na universidade pública devem ter as atividades de ensino como um de seus principais objetivos.
No entanto, como a universidade pública deve agir em relação à extensão? Qual é seu papel?
O documento elaborado durante o Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (Forproex), em 2012, intitulado “Política Nacional de Extensão Universitária”, apresenta as metas de uma política que visa tornar a extensão realizada pelas universidades públicas “um instrumento de mudança social em direção à justiça, à solidariedade e à democracia”. Para tanto, reafirma os quinze objetivos que nortearam as discussões sobre o tema durante o Fórum.
O que se pretende ressaltar neste livro, portanto, é a importância do papel da extensão, responsável pela ligação que a universidade deve estabelecer com a sociedade brasileira em geral, discutindo seus problemas e suas carências, no âmbito das atividades de ensino e de pesquisa.
É por meio da extensão que tudo o que se cria e se ensina na universidade influencia e é influenciado pelas demandas sociais. Não é à toa que a epígrafe escolhida para encabeçar o documento produzido pelo Fórum citado anteriormente corresponde a um trecho da obra A universidade do século XXI, de Boaventura de Souza Santos.
Segundo o autor, a atividade de extensão deve ser a resposta da universidade ao capitalismo global, cuja finalidade consiste em participar ativamente “na construção da coesão social, no aprofundamento da democracia, na luta contra a exclusão social e a degradação ambiental, na defesa da diversidade cultural”.

Deixe uma resposta