Máximo Gorki – Konovalov

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Estrangeira

Aleksiéi Maksímovitch Pieshkóv consagrou-se com o pseudônimo de Maksim Gorki, isto é, Máximo, o Amargo. Nascido em Níjni-Nóvgorod, hoje Gorki, em 1868. Morreu em 1936.
Exerceu desde cedo inúmeras profissões, e sua juventude ficou marcada pela miséria. Na época, ligou-se a um grupo do movimento populista russo, porém não se mostrou muito inclinado à exaltação do mujique, característica do movimento. (mais…)

Jonh Casti – O Colapso De Tudo

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, Economia

O Colapso De Tudo – O mundo moderno, tecnologicamente avançado e globalizado, adquiriu um grau de complexidade nunca visto na história da humanidade – porém seu equilíbrio é tão precário quanto um castelo de cartas.
É o que o renomado cientista de sistemas John Casti expõe, de forma cristalina, em seu novo livro O Colapso De Tudo. Basta o empurrãozinho do inesperado para que a civilização como a conhecemos entre em pane, com consequências graves para o modo de vida a que estamos acostumados. (mais…)

Janna Levin – A Música Do Universo

Posted on Leave a commentPosted in Física

A Música Do Universo – A fascinante história da maior descoberta científica do século: a comprovação da existência de “ondas gravitacionais”.
Por não emitir luz, a colisão de buracos negros é um evento cósmico invisível.
Ainda assim, é um dos acontecimentos mais poderosos desde a origem do universo. Em 1916, Albert Einstein previu que essa colisão geraria “ondas gravitacionais” – e que elas poderiam mudar nossa concepção do cosmos. (mais…)

Samuel Beckett – O Inominável

Posted on Leave a commentPosted in Literatura Estrangeira

O Inominável – Um ser, talvez um homem, está sentado sem poder mover-se, sem saber direito onde se encontra, como é o ambiente à sua volta, cercado ocasionalmente por pessoas que não pode ver perfeitamente, com as quais não se pode comunicar, sem saber sequer se tem um corpo.
Sua única atividade, que o mantém vivo, consciente, é pensar. Mais do que o ato de pensar, o pensamento em estado puro, essência desse ser inominável, sua própria vida, manifesta-se no extenso monólogo interior que forma este livro, ponto culminante de um grande processo de desintegração e perda através do qual os personagens de Beckett ficam reduzidos ao discurso aparentemente desconexo de uma consciência separada do mundo exterior e até mesmo do próprio corpo. (mais…)

Edmund Wilson – Rumo À Estação Finlândia

Posted on Leave a commentPosted in Ciências Sociais, História

Rumo À Estação Finlândia é um estudo sobre os homens que fizeram a História. Ou um estudo sobre os homens que escreveram a História. Ou ambos. Como disse Gore Vidal, o gênio especial de Wilson estava em estabelecer mais conexões entre vários campos do conhecimento do que qualquer outro crítico do seu tempo.
Somente um homem com a estatura intelectual de Wilson seria capaz de empreender a construção de uma obra da abrangência de Rumo à Estação Finlândia, um livro impossível de ser enquadrado em uma só categoria, capaz de agradar tanto a um especialista quanto a um não-iniciado. (mais…)