Gilberto Freyre foi um dos maiores intérpretes da realidade brasileira e, neste livro, revela um lado seu bastante perspicaz: o de grande observador do gênero humano.
Em Perfil De Euclides E Outros Perfis, Freyre nos brinda com textos instigantes sobre personalidades importantes da história e da literatura brasileiras, como Euclides da Cunha, Augusto dos Anjos, D. Pedro II, Oliveira Lima, Manuel Bandeira, Nina Rodrigues e outros.
Ao construir as biografias, Freyre desfaz estereótipos, destrói mitos e pinta retratos íntimos e precisos de figuras tão presentes no imaginário da cultura nacional.
A trama entre história, sociologia e antropologia, polinizada pela psicologia tanto individual quanto social, nutre o método científico de Gilberto Freyre. Método inovador e brilhante, provado e comprovado em Casa-grande & senzala, Sobrados e mucambos, Ordem e progresso, a trilogia que o alçou a um patamar inédito.
Ninguém antes examinara com lentes de tal potência a saga do patriarcado rural baseado na monocultura e no braço escravo, bem como sua decadência, em duração que se estende do Império até a urbanização trazida pela República. E tudo isso na pena de um estilista: como sempre em sua vasta obra, um grande escritor.
Tal é a garra do mestre que o leitor encontrará nestes perfis.
Perfil de Euclides saiu antes, e independente, em 1941, na excelente coleção de conferências da Casa do Estudante do Brasil, em que igualmente saiu a revisão crítica do Modernismo, feita por Mário de Andrade.
A presente coletânea alcançaria o público mais tarde, mas o texto sobre Euclides continuaria a ser de longe o mais importante, tanto que ocupa um terço do volume; e não foi à toa mantido no título.
Os dispersos e esparsos constam em parte de prefácios a obras de amigos, como Júlio Bello, Odilon Nestor ou Lins e Silva, biógrafo de Nina Rodrigues. Ou são necrológios despretensiosos, como o de Felipe d’Oliveira. Ou artigos de circunstância e resenhas de livros. Ainda outros são mais aprofundados, reunindo notas de várias épocas, como os que tratam de Oliveira Lima ou de Pedro II.

Deixe uma resposta