Adrienne Monnier – Rua Do Odéon

Posted on Posted in História, Literatura

De 1915 a 1951, La Maison des Amis des Livres, a livraria de Adrienne Monnier na rua do Odéon, em Paris, foi um importante ponto de encontro para muitos intelectuais da época, como Paul Valéry, André Gide, Jean Cocteau, André Breton, Walter Benjamin e James Joyce.
O local funcionava também como editora, e uma de suas publicações em especial teve grande repercussão: a primeira edição em francês do romance Ulisses, de Joyce, em 1929.
La Maison foi a primeira biblioteca de empréstimo gratuito, na França, o que permitiu Monnier alcançar pessoas de todas as esferas e transformá-las em leitoras.
Os textos que compõem Rua Do Odéon constituem uma espécie de relato fragmentado da trajetória dessa livraria, de suas várias atividades e de alguns de seus frequentadores.
Autorretrato de uma mulher apaixonada, culta e que soube reunir em torno de si um fascinante grupo de intelectuais, Rua do Odéon é, acima de tudo, uma homenagem à literatura.
Adrienne Monnier, vítima de uma doença incurável, suicidou-se em 19 de junho de 1955.
Este livro está conforme suas últimas vontades.
Sob o título “Os amigos dos livros”, reuniram-se na primeira parte os textos de Adrienne Monnier que têm a ver com o nascimento de sua vocação e com o exercício de sua profissão. Sua doutrina está contida na apresentação da Maison des Amis des Livres,1 que ela escreveu em agosto de 1918, aos vinte e seis anos.
A segunda parte, Rua do Odéon, faz as vezes das “Lembranças de minha vida de livreira”.
A terceira parte, “Outras lembranças”, agrupa três artigos que Adrienne Monnier reservava para uma obra sem ligação com sua vida de livreira – memórias pessoais e lembranças de infância – que ela também tinha em projeto.
Como Adrienne Monnier não pôde rever os textos, estes são publicados sem retoques, respeitando até mesmo as repetições e conservando, no capítulo Memorial da rua do Odéon, na segunda parte, várias páginas cuja publicação ela talvez não pretendesse.

 

Deixe uma resposta