O Último Verão Europeu é uma ousada e extremamente bem documentada reavaliação das causas da Primeira Guerra Mundial de 1914-1918.
O verão de 1914 teve o início mais glorioso de que os europeus eram capazes de se lembrar. Nos bastidores, porém, nascia de forma inexorável a mais destrutiva das guerras que o mundo já conhecera até então — uma guerra cujas consequências continuam a influenciar o mundo do século XXI.
A questão de como começou a Primeira Guerra Mundial vem intrigando historiadores há várias décadas. Muitos citam como motivo para o conflito o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando; outros chegaram à conclusão de que ninguém foi responsável.
Mas David Fromkin — cujo relato está baseado nas mais recentes pesquisas — dá uma resposta diferente a essa pergunta. Ele deixa claro que a hecatombe que iria dilacerar o continente foi iniciada de maneira deliberada.
Em uma narrativa fascinante que traz paralelos assustadores com os acontecimentos de nossa própria época, Fromkin mostra, em O Último Verão Europeu, que não foi travada apenas uma guerra, mas duas, e que a primeira serviu de pretexto para a segunda.
Abordando de forma esclarecedora temas atuais como guerra preventiva e terrorismo, o autor descreve em detalhes as negociações e traça retratos incisivos dos diplomatas, generais e líderes protagonistas do conflito: o kaiser alemão, o tsar da Rússia, o primeiro-ministro britânico. E revela como e por que as iniciativas diplomáticas que tentaram evitá-lo estavam fadadas ao fracasso.

David Fromkin foi um escritor, jurista e historiador estadunidense, mais conhecido pela sua contribuição sobre o Oriente Médio, A Peace to End All Peace, na qual ele relata o papel das potências europeias entre 1914 e 1922 na criação do Oriente Médio moderno.
Fromkin escreveu sete livros, e a sua publicação mais recente é “The King and the Cowboy: Theodore Roosevelt and Edward the Seventh, Secret Partners” de 2007.
Graduado pela Universidade de Chicago, Fromkin era professor universitário, lecionava História, Relações Internacionais e Direito na Universidade de Boston, na qual ele também dirigia o centro de estudos Frederick S. Pardee.
Fromkin também foi redator do jornal Middle East Quarterly, uma publicação dos especialistas do Fórum do Oriente Médio, e membro do Conselho de Relações Exteriores desde 1976.

Deixe uma resposta