Em 50 grandes ideias da humanidade que você precisa conhecer, Ben Dupré aborda seis diferentes tópicos- filosofia, religião, política, economia, artes e ciência. Para cada um, ele levanta as mais significantes e importantes teorias, oferecendo uma breve história, o conceito geral, sua evolução e uma linha do tempo dedicada a cada ponto.

“Resistimos à invasão dos exércitos; não resistimos à invasão das ideias.” O escritor francês Victor Hugo compreendeu perfeitamente essa combinação de substância e momento oportuno que se juntam para formar uma ideia que consegue abalar as estruturas vigentes – destinada a ser grande.
Mas a grandeza pode adquirir várias formas: grande e bela, grande e feia, grande e assustadora. As ideias podem ser grandes em todos esses aspectos, ou seja, admiráveis, desprezíveis ou intimidativas. Ideias assim são apresentadas neste livro.
O objetivo da filosofia, para Adam Smith, é “revelar as conexões ocultas que unem os vários fenômenos naturais”. À luz de ambições tão elevadas, não é de surpreender que os filósofos nos tenham proporcionado algumas das ideias mais abrangentes.
Algumas delas, surgidas em um período de dois mil e quinhentos anos, do platonismo ao existencialismo, estão aqui. Não menos profunda é a adversária constante e aliada ocasional da filosofia: a religião – caminho espiritual para outro tipo de verdade.
A fé, a alma e outras ideias centrais da religião são fundamentais para entender como as pessoas julgam o valor e o sentido da vida. Ao mesmo tempo, posições opostas à religião, como o ateísmo e o secularismo, forjaram perspectivas inovadoras e peculiares a respeito do mundo.
A piada do comediante americano Will Rogers sobre o comunismo – “é como a Lei Seca: uma boa ideia, mas não vai dar certo” – está duplamente equivocada: bem ou mal, o comunismo talvez seja a mais bem-sucedida ideologia política já planejada no papel e colocada em prática.
Ao lado do comunismo, são apresentadas aqui outras ideologias seminais, como o conservadorismo, o liberalismo e o republicanismo. Muito mais sombrio é o legado de outras ideias políticas, notadamente o fascismo e o racismo, que marcaram com uma mancha indelével a história da humanidade.
Na última parte do livro, ideias transformadoras são extraídas da arte e da ciência. A trajetória artística da humanidade é apresentada por intermédio dos movimentos dominantes, como o classicismo, o romantismo e o modernismo.
À primeira vista, ideias científicas como a relatividade e a mecânica quântica podem parecer intrincadas, mas sua arquitetura geral é acessível e maravilhosa. Não há como evitar o assombro diante de mentes capazes de elaborar essas coisas.

Deixe uma resposta