Nelson Werneck Sodré – Quem É O Povo No Brasil?

Posted on Posted in Ciências Sociais

Nelson Werneck Sodré buscou definir o conceito de povo ao longo de cada fase histórica do Brasil, segundo sua leitura, em seu artigo intitulado Quem É O Povo No Brasil?.
Como é possível ver no uso tanto acadêmico quanto político da palavra – e o próprio nome da revista não deixa negar –, o autor afirma que a noção de povo é usada de forma imprecisa, o que costuma gerar confusão sobre seu real significado, tornando-se necessário uma abordagem mais científica sobre o assunto.
Segundo o autor, o conceito de povo tem sido usado para encobrir distinções de classe, de modo que defini-lo viria a ser uma tarefa na luta política e no processo revolucionário.
Pensando o mundo com base no materialismo histórico dialético, no qual a História avançaria através das novas relações materiais de produção surgidas do conflito entre estrutura e superestrutura, o autor esforça-se em explicar como o contexto histórico é fundamental para entender o povo como algo que acontece no processo das relações sociais, ao invés de simplesmente dar uma definição universal e fixa acerca deste conceito.
Para Marx e Engels, todo conceito deve partir da realidade concreta para o plano do intelecto, não ao contrário. E é assim que Nelson Werneck Sodré procede ao escrever Quem É O Povo No Brasil?, no qual o próprio título sugere um lugar para o conceito de povo e, como veremos, o próprio entendimento do Brasil terá seu sentido deslocado ao longo de seu desenvolvimento histórico.
Partindo do entendimento de que “o conceito de povo evolui”, mudando “conforme a sociedade muda”, Sodré inicia sua historiografia com a imagem de uma comunidade primitiva, onde não existiriam classes sociais e, portanto, dizendo que o povo seria correspondente a toda população.
Neste ponto, já se pode notar a dependência (ou correlação) do conceito povo com a categoria de classe social. Se na comunidade primitiva “povo” e “população” se igualavam pela inexistência das classes sociais, é com o início da estratificação da sociedade que fará com que se haja uma cisão entre as noções de povo e população.
Esta permanecendo como dimensão geográfica dentro de um território específico e aquela ascendendo para um nível no qual as variáveis econômicas e políticas começam a importar.
À medida que esta clivagem social vai se desenrolando no processo de complexificação da realidade social, o povo passa a se tornar um conjunto de classes sociais

Deixe uma resposta