A despeito do que se pensa, república não é o contrário de monarquia. É, isto sim, o regime da coisa pública, do bem comum. Por isso, são poucos os Estados que merecem ser chamados de repúblicas. Ser republicano exige muito do cidadão, porque ele precisa ser intensamente ético.
A república é o regime da ética na política. Ora, como podemos ser éticos, fazendo passar o bem comum à frente do egoísmo privado, quando vivemos numa sociedade que prega, o tempo todo, o interesse particular na economia e a afirmação de si nas relações com os outros? Queremos a ética na política, mas como, se a sociedade em que vivemos é tão egoísta?
Este livro tem um companheiro, na mesma série, sobre “A Democracia”. Consultar os dois é o melhor, embora cada um possa ser lido em separado.
As teses que os unem são: não há política digna de seu nome, hoje, que não seja democrática e republicana. Mas há uma tensão entre esses dois ideais. A república é o regime no qual prevalece o bem comum, o que exige o sacrifício ou a contenção dos desejos e interesses privados. Já a força da democracia, hoje, e seu caráter popular estão justamente no fato de que ela mobiliza o desejo de ter mais – e sobretudo o desejo de ser mais.
Contrapondo os ideais republicanos originais a seus “inimigos”, a monarquia, a corrupção e o patrimonialismo, o filósofo Renato Janine Ribeiro questiona qual república é possível hoje.

Renato Janine Ribeiro (Araçatuba, 9 de dezembro de 1949) é um professor de filosofia, cientista político, escritor e colunista brasileiro. Foi ministro da Educação do Brasil, entre abril e setembro de 2015.
É Professor-titular da cadeira de Ética e Filosofia política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura em 2001, graças à obra “A Sociedade Contra o Social”, bem como foi condecorado com a Ordem Nacional do Mérito Científico, em 1998, e com a Ordem de Rio Branco, em 2009. Atualmente trabalha como colunista do jornal Valor Econômico.
Autor de diversos livros e ensaios, entre eles: A marca do Leviatã, A última razão dos reis – ensaios de filosofia e política, Ao leitor sem medo – Hobbes escrevendo contra o seu tempo, A etiqueta no antigo regime, A sociedade contra o social: o alto custo da vida pública no Brasil.

Deixe uma resposta