Grande tem sido o interesse despertado pelo estudo dos produtos naturais, em particular das plantas medicinais, neste final de século.
Muitas são as publicações abordando diferentes aspectos sobre o uso das plantas medicinais. Algumas enfocam, basicamente, o uso popular, resgatando o conhecimento próprio das práticas tradicionais da medicina natural.
Outras, abordam o conhecimento científico justificando a eficácia do uso das plantas na presença de substâncias ativas, que, por vezes, não explicariam totalmente o seu emprego.
Plantas Medicinais guarda importância fundamental ao tentar reunir os diversos aspectos que envolvem o conhecimento das plantas como fonte de cura.
A autora, utilizando uma linguagem bastante acessível, tanto para leigos como para estudantes e profissionais da área, passeia com maestria abordando e relacionando as diferentes faces no estudo das plantas medicinais utilizadas no Brasil, em particular na Bahia.
Ao abordar assunto de tamanho interesse popular e científico, a autora procura, com sucesso, enfocar o caráter religioso e supersticioso, fortemente presente na população brasileira, decorrente da herança africana e indígena, percebida com maior intensidade na Região Sul e Sudeste, sem prejuízo das informações de cunho científico coligadas por revisão na literatura.
Desnecessário é afirmar a riqueza da presente obra. A forma inovadora encontrada pela autora para conciliar o popular e o científico, tornando a leitura agradável e interessante, a destaca em relação a outras obras similares.
O livro aborda de forma clara, dentre outros aspectos referentes à importância da etnofarmacologia, etnomedicina e inova, sobremaneira, em relação a publicações do gênero quando insere o capítulo intitulado Almanaque, no qual relata aspectos práticos/populares no uso das plantas medicinais.
Plantas Medicinais colabora com a preservação e multiplicação das informações obtidas em trabalhos comunitários acerca do uso de plantas para fins medicinais, com o devido respeito às tradições da herança cultural africana na medicina do Brasil.
As indicações terapêuticas tradicionais indicam plantas para fins medicinais que extrapolam em muito a terapêutica convencional, assumindo, em determinados momentos, um caráter místico, embasado em crenças culturais inerentes ao grupo étnico.

   

Deixe uma resposta