Em Busca De Cristãos E Especiarias: Fruto de uma tese de doutoramento desenvolvida na USP, a obra percorre uma imensa gama de fatores que influenciou o declínio da rota marítima da Índia em benefício do incremento da rota do Brasil no final do século XVI.
Reservando às Américas um papel de destaque, a partir de então, dentro do âmbito colonial lusitano e no sistema-mundo.
Possibilitando, através do primitivo acumulo de capital, representado pela pirataria holandesa e inglesa, dois novos ciclos hegemônicos que seguiram a hegemonia de Gênova, a saber a preponderância da Holanda e Inglaterra, além da própria Revolução Industrial, representando a gênese do sistema capitalista.
A despeito de seu contexto teórico, o leitor notará que a obra também aborda a grande história do cotidiano, colocando-se no centro dos acontecimentos políticos, sociais, econômicos e culturais da epopeia marítima portuguesa.
Descrevendo crueldades, invasões, extermínio de nativos, guerras santas e outras brutalidades.
O primeiro volume, de um total de três, aborda os antecedentes que permitiram criar e dar sustentação a rota da Índia e do Brasil, assim como a superação dos obstáculos iniciais que se colocaram a expansão ultramarina e a exploração da costa africana. Trata-se da primeira parte da tese, intitulada Em Busca De Cristãos E Especiarias.
Mais um sucesso editorial de grande penetração junto ao público leitor – formado por especialistas, estudantes e curiosos. Repercutindo com força nos meios de comunicação no mundo todo, chegando aos noticiários até na China, devido à contestação da existência da Escola de Sagres e a proposta de nova datação oficial para o descobrimento do Brasil. Em Busca De Cristãos E Especiarias também se tornou referência citada em teses e dissertações acadêmicas, vestibulares e concursos.
Entretanto, até hoje, o texto integral da tese de doutorado, com todas as notas de rodapé, tabelas, gráficos, referências e discussões teóricas nunca tinha sido apresentado ao público. Poucos tiveram acesso ao compendio, uma única cópia depositada apenas no banco de teses da CAPH – USP, contendo mais de 900 páginas.
De forma que apresentamos aqui a integra da obra que altera datações e interpretações sobre a história do Brasil, de Portugal e da formação do sistema capitalista, inserindo-se na história social, mas também na vertente historiográfica econômica, cultural e política.

       

 

Deixe uma resposta