O colapso da União Soviética trouxe à tona detalhes sobre um dos maiores crimes contra a humanidade cometidos no século XX. Coberto com um véu de segredo, o Gulag compreendia uma série de campos de concentração que atravessavam o país.
Suas localizações foram apagadas dos mapas oficiais, mas, ao lado do exílio forçado, eram um dos principais instrumentos de terrorismo do Estado do totalitarismo comunista.
Neles, milhões de criminosos e, principalmente, prisioneiros políticos trabalharam como escravos, em condições sub-humanas, para ajudar a desenvolver e sustentar a cambaleante economia soviética, da Revolução de 1917 até os anos 80.
Com acesso privilegiado a documentos do antigo regime e relatos de sobreviventes, Anne Applebaum conta a história desse massacre, do ponto de vista de seus planejadores e de suas vítimas, escrevendo definitivamente o nome de Gulag na galeria da infância mundial, ao lado de outros como Treblinka, Sobibor e Auschwitz.
O Gulag – o vasto conjunto de campos de concentração soviéticos – foi um sistema de repressão e castigo cujo mal racionalizado e cuja desumanidade institucionalizada só foram igualados pelo Holocausto.
Imediatamente reconhecido como uma obra essencial na área da História do século XX, Gulag : Uma história é uma contribuição indelével para a complexa, permanente e necessária busca da verdade. Gulag: uma história é o relato das origens e desenvolvimento dos campos de concentração soviéticos, de Lenine a Gorbachev.
Baseado em arquivos, entrevistas e novas pesquisas, este livro explica o papel que estes campos tiveram nos sistemas político e económico soviéticos e por que razão permaneceram apagados na memória da antiga união Soviética e do Ocidente.
O sistema de campos de concentração soviéticos – Gulag – foi criado em 1918 após a revolução russa. Em 1929, Stalin expandiu este sistema com o objetivo de usar o trabalho forçado para acelerar a industrialização soviética.
O Gulag acabou por tornar-se um país dentro de um país, com leis, costumes, literatura, folclore, gíria e moral próprios. Traduzido em mais de doze línguas, Gulag: uma história ganhou o Prémio Pulitzer de 2004 na categoria de não-ficção e o Duff-Cooper Prize britânico.
Foi um dos finalistas nomeados para o National Book Award, o National Book Critics Circle Award, o LA Times Books Award e o Samuel Johnson Prize. “O relato mais avalizado e abrangente deste mal soviético alguma vez publicado por um escritor ocidental coloca o Gulag no seu terrível lugar de direito.”

Deixe uma resposta