No século XIX, em 1888, a historiografia literária brasileira recebe a sua primeira obra, a História da Literatura Brasileira, de Sílvio Romero. Nesse contexto, pelo auge que o cientificismo alcançou, os estudos relacionados às humanidades estavam sofrendo influência das ciências naturais. Assim, a concepção de literatura que Sílvio Romero faz uso, em seu método historiográfico, é de uma abordagem guiada pelo biologismo, teorizando a literatura brasileira a partir do conceito de raça, que para ele melhor representa o povo brasileiro – o mestiço.
Portanto, o método utilizado por Sílvio Romero abrange não só questões ligadas aos aspectos do processo de formação de nossa literatura, mas, como aponta Antonio Candido, a perspectiva usada pelo intelectual sergipano parte também de uma interpretação do processo de formação da cultura brasileira.
A importância que Antonio Candido tece acerca da obra de Sílvio Romero está relacionada com a formulação, que este fez, de teorias que transbordam o campo literário e chegam ao campo sociológico, ao levar para o centro de sua obra historiográfica o plano da civilização
em detrimento ao plano da obra literária. Por isso, alguns estudiosos destacam que a obra romeriana interfere tanto no campo da história da literatura, da sociologia, assim como da própria História do Brasil.
Neste ínterim, indagamos: qual o lugar que ocupa a História da Literatura Brasileira, de Sílvio Romero, ao adotar uma concepção de literatura própria do século XIX, estaria essa obra reservada ao lugar do esquecimento? Ou a um lugar de memória? Por influenciar a nossa memória cultural com seu conceito de literatura formulado a partir de uma abordagem etnológica. Quais seriam as consequências de a colocarmos nesses respectivos
espaços de memória?
De acordo com o historiador francês Pierre Nora, os livros de história podem ser vistos como um lugar de memória porque servem como suporte que ancora a história e a memória de uma dada sociedade. Portanto, podemos apontar a História da Literatura Brasileira, de Sílvio Romero, como um lugar de memória para a cultura brasileira, por fazer parte de nossa memória histórica referente à formação do conceito de literatura no século XIX, influenciando uma perspectiva sociológica para os estudos do campo literário brasileiro

Deixe uma resposta