É hora de resgatar do exílio esse autor que nos legou uma obra trans-histórica. Neste volume, encontram-se reunidos os três livros de contos publicados em vida por Marques Rebelo e outros textos dispersos.
Oscarina lançado em 1931 foi o seu livro de estreia e com ele Rebelo foi considerado pela crítica um escritor notável. Três Caminhos foi o seu segundo livro e nele já está presente o universo pequeno-burguês que marcaria sua obra. Stela me Abriu a Porta, de 1942, o último livro de contos publicado pelo autor consagra-o de vez o renovador da narrativa curta na literatura brasileira.
Este livro constitui oportunidade única de conhecê-los.
Nascido no Rio De Janeiro, em Vila Isabel, bairro tradicional da cidade em termos de vivência da classe média, a 6 de janeiro de 1907, filho de Manuel Dias da Cruz Neto e Rosa Reis Dias da Cruz, Marques Rebelo – que no registro civil se chamava Eddy Dias da Cruz – passou no Rio os primeiros anos da infância, interrompidos entre 1911 e 1918 por uma longa temporada em Barbacena, Minas Gerais.
Voltando ao Rio com 11 anos, quando se apagavam na Europa as últimas chamas da Primeira Guerra Mundial, começou então os estudos de humanidades no Colégio Pedro 11, sob o regime de preparatórios, que terminou em 1920.
Matriculando-se na Faculdade de Medicina em 1922, deixou o curso logo em começo, lançando-se à vida prática no comércio, sua atividade durante longos anos, mais tarde acumulada com o cargo de Inspetor de Ensino Secundário no Ministério de Educação e Cultura.
Trazendo desde a adolescência o gosto pela leitura intensa e o conhecimento de vários autores nacionais e estrangeiros existentes na biblioteca paterna (Flaubert, Herculano, Balzac e outros geralmente tidos como clássicos indispensáveis), já em 1926 o futuro romancista sentiu despertar a vocação para as letras, estimulada pelo movimento modernista de 22 e por algumas amizades entre jovens escritores que então também se iniciavam, a exemplo de Francisco Inácio Peixoto, um dos fundadores da revista Verde, de Cataguases.
Durante cinco anos (1926/31), a colaboração em periódicos, incluindo poesia, e novas amizades com alguns nomes já importantes e outros já consagrados, como Alberto de Oliveira, por exemplo, formaram o ambiente em que viveu Marques Reb elo, sem esquecer o tempo de serviço militar prestado entre 26 e 27, que de certo modo deixou marcas visíveis em seu primeiro livro, Oscarina, publicado em 1931 como a revelação de um notável contista.

 

Deixe uma resposta