Nas últimas décadas, tornou-se bastante difundida a tese da criação do Universo a partir de uma grande explosão, há poucos bilhões de anos, que teria dado origem a tudo o que existe. Esse modelo conhecido como big bang parecia incontestável, assumiu o papel de verdade científica, ganhou as páginas de jornais e revistas, povoou os livros didáticos e as telas de televisão.
Em Do big bang ao Universo eterno, o premiado cosmólogo Mário Novello demonstra, para o grande público, o que vem discutindo no meio acadêmico há mais de vinte anos: os cientistas produziram, com o big bang, uma teoria da criação equivalente a diversos mitos religiosos.
O autor apresenta historicamente as circunstâncias que estão levando a teoria do big bang a perder o caráter hegemônico ostentado desde a década de 1970. E analisa as condições que tornaram possível o surgimento de outros cenários e teorias, entre eles, o modelo cosmológico que nos últimos anos vem atraindo a atenção dos cientistas: o Universo eterno dinâmico, em que sua origem não teria um começo determinado no tempo.
O livro traz ainda um glossário, comentários sobre os temas abordados e uma sinopse cronológica da cosmologia no Brasil e no mundo.
Definindo-se como “bisneto cientifico” de Einstein, Novello tornou-se notável por propor, ainda na década de 1970, por formular uma explicação alternativa à teoria do big bang para explicar o Universo. Sem medo de polêmicas, Novello atribui inclusive o sucesso da teoria do Big Bang por que ela seria uma maneira de confirmar que o Universo foi criado por Deus. Mario Novello é pesquisador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), e coordena a seção brasileira do Centro Internacional de Astrofísica Relativista (ICRAnet), com sede na Itália. Recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade de Lyon, França (2004), por seus estudos sobre a origem do Universo. É autor de inúmeros artigos científicos e vários livros, como O que é cosmologia, Máquina do tempo e Os sonhos atribulados de Maria Luísa.

Deixe uma resposta