Romance de geração, memórias de um Brasil conturbado e trágico, mas culturalmente rico? Autobiografia política e artística de um grupo – os músicos mineiros que romperam as fronteiras com sua arte universal? Biografia não-autorizada de Milton Nascimento, um dos maiores músicos do mundo? É dificíl classificar este livro, do qual Milton Nascimento é o personagem central. Como num filme delicado e arrebatador, o poeta e publicitário Márcio Borges, primeiro parceiro de Milton, reconstrói com paixão a história do país nos últimos 30 anos, a partir das lembranças dos meninos que um dia se encantaram com a música. Comovente, sensível, capaz de fazer vibrar e chorar, Márcio Borges nos surpreende com um livro encantador.

Márcio Hilton Fragoso Borges, conhecido como Márcio Borges, nasceu em Belo Horizonte (MG), no dia 31 de janeiro de 1946. Nasceu em uma família bastante musical – seu pai tocava um pouco de violão e sua mãe cantava em corais e tocava piano. Segundo filho de uma turma de 11 – muitos deles também envolvidos com a música -, considera a grande influência de sua vida seu irmão mais velho, Marilton Borges. A infância em Santa Tereza foi marcada por problemas de saúde. Nessa época, iniciou-se na literatura e começou a escrever, o que mais tarde culminaria em sua carreira de letrista. Na adolescência, mudou-se para o Edifício Levy, no Centro de Belo Horizonte, e então conheceu os vizinhos Wagner Tiso e Milton Nascimento, que se tornou seu grande amigo e parceiro musical. Márcio é autor da letra de Clube da Esquina, sua primeira parceria com o irmão Lô. Posteriormente, essa canção daria nome aos dois discos e ao movimento Clube da Esquina, de cujo núcleo formador Márcio é um dos pilares e principais letristas. Em 1996, escreveu o livro Os Sonhos Não Envelhecem: Histórias do Clube da Esquina. Atualmente reside na cidade de Belo Horizonte e dedica-se à direção do Museu Clube da Esquina, do qual é idealizador.

Deixe uma resposta