Você Sabe O Que Aconteceu Com Os Aparelhos Olímpicos?: A Fundação Heinrich Böll Brasil levantou, junto a algumas fontes, o que aconteceu com os aparelhos olímpicos utilizados nas Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.
Segundo as informações, muitos equipamentos daquilo que seria deixado à cidade como legado estão fechados. Outros não estão sendo utilizados conforme o planejamento de legado.
Neste livro, você encontra o que foi planejado para cada equipamento, e o que aconteceu após a realização dos Jogos. Encontra também os gastos projetados e os efetivamente realizados. Ao final do documento, estão registradas as fontes de pesquisa. O material é livre em termos de direito autoral para utilização, desde que a fonte seja sempre mencionada.
No total, foram gastos R$ 43,7 bilhões com a realização dos Jogos – sendo R$ 22,2 bilhões de natureza privada e R$ 21,5 bilhões de origem pública. Casos como o do Maracanã – onde, segundo investigações da Operação Lava Jato, a Odebrecht teria gasto cerca de R$ 7,3 milhões em propina para fraudar a licitação – também estão registrados. O estádio, atualmente, não vem apresentando viabilidade financeira para sediar jogos dos grandes clubes do Rio.

Velódromo Olímpico:
Plano do legado: Após os Jogos, faria parte do Centro Olímpico de Treinamento e contaria com espaço de treino, seja em alto rendimento ou em projetos sociais, das modalidades boxe, taekwondo, esgrima e levantamento de peso. A pista de ciclismo seria mantida.
Investimento:
R$ 2,8 milhões da Prefeitura
R$ 147,1 milhões da União
Valor total: R$ 149,9 milhões
Estado atual: O Velódromo precisa ser mantido com ar-condicionado ligado em volume máximo. Devido a madeira especial instalada vinda da Sibéria a temperatura não pode passar de 26°C. Manter a infraestrutura do Velódromo custa aos cofres públicos R$ 11 milhões por ano. Em julho, o Velódromo sofreu um incêndio em sua cobertura e parte da pista.

Deixe uma resposta