James Gleick – Caos: A Criação De Uma Nova Ciência

Posted on Posted in Administração, Economia, Matemática

Este livro tornou-se um clássico e principal referência da ciência do Caos. Todos os que estão seriamente interessados no conhecimento esotérico sabem das informações ocultas contidas nos conceitos de caos e ordem.
O lado caótico, descontínuo e incerto da natureza sempre foi um enigma para a ciência que, durante séculos, colocou de lado a questão. Este aspecto obscuro da vida e o resultado das pesquisas está no livro surpreendente de James Gleick. Amplamente ilustrado.
A Teoria do Caos resume-se a uma frase: “O simples bater de asas de uma borboleta em Pequim, pode causar um furacão em Nova Iorque”.
Esta frase não pode ser levada muito ao pé da letra, pois para o furacão acontecer leva tempo, a perturbação causada pelo bater de asas vai crescendo relativamente, até se transformar num furacão, mas pode transcorrer muito tempo antes que isso aconteça, pode ser um mês, um ano ou uma década.
A conclusão a que se pode chegar, é que pequenas causas, tão pequenas quanto se pode imaginar, gerado pelo “acaso”, pode gerar grandes efeitos se o sistema estudado for caótico, se não for, as pequenas causas não correspondem a nenhum efeito.
Mas isso não quer dizer, de modo direto nessa teoria, que o nosso planeta “possa ir pelos ares” a qualquer momento. A mudança repentina de estado, não está diretamente relacionada à Teoria do Caos. Existe uma teoria matemática que aborda isso, conhecida como Teoria da Catástrofe, ela engloba a mudança repentina dos estados das substâncias.
A Teoria do Caos está ligada à mudança repentina do comportamento dinâmico. No livro de James Gleick, Caos, a criação de uma nova ciência, podemos observar que, matematicamente falando, o caos trata-se com equações de grau “n”, que muitas vezes, a incógnita está no próprio expoente, é o que James chamou de “ciência não linear”.
Tais equações não podem ser resolvidas de modo concreto, pois apresentam inúmeras soluções em cada ponto, assim, o caos é necessariamente probabilista. Albert Einstein disse, quando tomou conhecimento da teoria, “Deus não joga dados”, referindo-se ao facto de que as ações ocorreriam de modo probabilístico.
Podemos entender matematicamente, que a Teoria do Caos passa de uma equação que tem como resposta inúmeras variáveis. Os cálculos envolvendo a Teoria do Caos são utilizados para descrever e entender fenômenos meteorológicos, crescimento de populações, variações no mercado financeiro e movimentos de placas tectônicas. Uma das mais conhecidas bases da teoria é o chamado “efeito borboleta”.

Deixe uma resposta